Rio de Janeiro, 22 de Julho de 2019

O bom embate



Sou casada e tenho uma filha de 3 anos mas ultimamente desejo me separar pois meu marido mudou o comportamento.
 
Ele não liga mais para nossa filha e nem me procura mais tem mais de 1 ano. Não sei o que fazer. Sou advogada e trabalho fora o dia inteiro e ainda encontro tempo para cuidar de minha filha, de minha casa e de meu marido mas ele está agindo estranhamente.
 
Penso até que deixou de ser homem, pois ele anda estranho comigo. Tento seduzi-lo todas as noites, mas ele se abstém.
 
Você acha que ele não me quer mais ou ele virou gay?
 
Estou com uma grande dúvida. Vocês podem me ajudar?
Valéria

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

O  bom embate.
 
Cara Leitora,
 
Sua carta vem evidenciar as surpresas da “instituição” chamada casamento.
 
Na alegria, na doença, na saúde e na tristeza são premissas básicas na hora do juramento. Porém deveriam acrescentar palavras como: na ausência, na falta de libido e na angustia. Angustia acho que resume bem a sua carta.
 
A coisa mais difícil para qualquer pessoa, em qualquer situação da vida é não ter respostas.
 
Muitas vezes as respostas nos ajudam a pensar, a refletir e a nos direcionar. Em outras vezes mesmo tendo as respostas não saímos do lugar.
 
Sem falar de quando acontece de não termos respostas.
 
Como fechar um ciclo, como analisar determinado fato sem saber ao menos as circunstancias que o rodeiam.
 
No seu caso me parece que a sua angustia é alimentada (em doses de muita fast food engordativo) pela ausência de respostas.
 
Um bom caminho que muitas vezes não falha é uma boa conversa, um bom embate. Muitas vezes temos medo do embate porque não faz parte de nossa natureza ou então por termos receio das conseqüências. Mas na vida real, na vida do aqui-agora muitas vezes o embate se faz necessário e obrigatório para a sobrevivência da alma, da mente e do coração.
 
Se a cerca de um ano ele não a procura mais, não procura sua filha, algo realmente acontece dentro desse seu marido-homem.
 
As possibilidades são muitas, você está trabalhando com a idéia dele ser gay.
 
Outras mulheres, em situações parecidas achariam que ele está com amante.
 
Mas não precisa necessariamente ser alguma coisa dramática e direcionada ao você ou ao casamento.
 
Pode ser algo com ele mesmo.
 
Existem tantas possibilidades que acredito que depois desse 1 ano tentando de maneira indireta encontrar respostas a melhor coisa é ir direto ao ponto.
 
Só lembre-se da lei de Newton, toda ação desencadeia uma reação.
 
A sua reação pode desencadear uma série de reações, boas ou ruins, o embate se faz necessário
 
 
 
Envie seu e-mail para thiago.spinelli@universodamulher.com.br e tenha sua mensagem respondida pelo psicólogo Thiago Spinelli.
 

 

Crédito:Christina Gomes

Autor:Thiago Spinelli

Fonte:Universo da Mulher