Rio de Janeiro, 21 de Julho de 2019

Apagão do sentido

Carta da Leitora
Sou uma mulher como outra qualquer.
Tenho felicidades, conquistas, mas também tenho minhas dificuldades.
Nunca fui apesar das circunstancias da vida uma mulher derrotista, muito pelo contrário.
 
Sempre fui batalhadora, guerreira e alto astral.
 
Porém a cerca de dois anos isso tudo mudou.
 
Tornei-me uma pessoa pra baixo, pessimista e negativa.
 
Não saio mais, passo o dia inteiro em casa e não faço nada a não ser ver televisão.
Perdi minhas amigas e qualquer ciclo social.
 
Parece que eu apaguei da vida, e só sei que estou viva porque respiro.
 
Algumas pessoas afirmam dizer que estou em depressão, mas não aconteceu nada de grave ou diferente na minha vida que gerasse isso.
 
Minha família me cobra, mas por mais que eu me esforce, nada muda.
Ana Maria - SP
 

Resposta:
Apagão do sentido.
 
Ana Maria, de médico e louco todo mundo tem um pouco.
 
A melhor coisa a ser feita é procurar um profissional capacitado para lhe prestar atendimento.
 
De qualquer forma, me chama atenção o fato de você sentir que apagou a vida.
 
No nosso mundo, o mundo de pessoas vivas, acontece em algumas vezes de sofrermos apagões.
Alguns são brandos, não duram muito. Outros são longos e só com a troca de alguns fusíveis a energia volta a ser fornecida.
 
Muitas vezes a energia acaba por uma tempestade, ou simplesmente por um fio partido.
 
De qualquer modo, qualquer que seja o motivo é importante e deve ser cuidado.
 
Porém fica mais difícil de consertar o estrago, se não soubermos qual o motivo que fez com que a energia acabasse.
 
Dessa forma se faz necessário entender o real motivo desse apagão; o apagão de desejar.
 
Nós somos seres desejantes, que pulsamos nessa vida e ficar nela sem viver com ela e nela é literalmente estar desligado da vida.
 
 A reflexão para dentro de você pode ser um caminho difícil, tortuoso, mas parece ser o único caminho para descoberta desse embotamento.
 
Não devemos ser algozes de nós mesmos, caso não encontremos as respostas para tudo. Porém o mais importante é se fazer perguntas, questionamentos e assim mostrar ao mundo que somos muito mais do que apenas alguns fusíveis ou fios partidos afinal muitas vezes o sentido das coisas está justamente em não achar sentido para tudo.
 
 
E você?
Também tem algum problema ou alguma dúvida sentimental?
 
Envie seu e-mail para o psicólogo Thiago Spinelli responder.
E-mail thiago.spinelli@universodamulher.com.br
 
 

 
 

Crédito:Christina Gomes

Autor:Thiago Spinelli

Fonte:Universo da Mulher