Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 2019

Que pele resiste ao ar condicionado?

O uso freqüente do aparelho pode retirar a barreira cutânea da pele, ressecando-a.  Segundo cosmetólogo, é imprescindível protegê-la com produtos adequados.
 
 
Nas últimas semanas, o brasileiro tem enfrentado um intenso calor, com temperaturas acima dos 30º graus.
 
Desta forma, naturalmente as pessoas recorrem ao uso do ar-condicionado para amenizar o desconforto gerado pelas altas temperaturas, seja no carro, no escritório ou em casa.
 
Ninguém discorda que esse auxilio tecnológico proporciona o resfriamento do ambiente e a gostosa sensação de frescor. Entretanto, quando ligado por muito tempo, o ar condicionado diminui a umidade do ar, podendo ressecar a pele, deixando-a sem viço.
 
“Após um dia de trabalho dentro do escritório, percebo que a minha pele fica mais áspera e seca”, queixa-se a Auxiliar Administrativa Sandra Noiman.
 
Isso acontece porque a pele humana é feita, basicamente, de gordura (conhecida como barreira cutânea), cuja função é hidratar e protegê-la de agentes externos, até mesmo do ar-condicionado.
 
Porém, de acordo com o Cosmetólogo e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética, Paschoal Rossetti Filho, para que a pele não perca a sua proteção natural, ela deve ser protegida com o uso contínuo de produtos altamente hidratantes cuja composição seja à base de ativos multifuncionais biotecnológicos de baixo peso molecular (nanotecnologia).
 
“Esses ativos são considerados o que existe de mais moderno na cosmetologia, pois eles agem nas camadas mais profundas da pele, promovendo modificações fisiológicas que possibilitam a redução da formação de radicais livres, melhora do aspecto da pele e hidratação profunda, atuando direto na célula. Devemos buscar dermocosméticos ou cosmecêuticos que tratem de fato a pele e não proporcionem apenas o efeito momentâneo chamado de Efeito Cinderela”, explica Rossetti.
 
O Cosmetólogo alerta que uma pele ressecada pelo ar condicionado ou por outros agentes externos torna-se mais fina e, por isso, pode apresentar leve descamação e maior tendência às rugas.
 
Por esta razão, sobretudo quem fica sob o ar condicionado, não deve esperar começar o inverno para recuperar a pele, mas, sim, protegê-la imediatamente. 
 
É possível encontrar algumas opções eficazes de cosméticos com ação multifuncional. “Recomendo, contudo, produtos em fluido, visto que são menos oleosos, possuem melhor viscosidade e são mais fáceis de permear na epiderme”, conclui Rossetti. 
 
Em resumo, a exposição contínua ao ar condicionado pode ressecar a pele, deixando-a sem brilho e áspera. Por esta razão, especialista alerta que é imprescindível o uso de cosméticos com ativos funcionais, ou seja, àqueles que, de fato, tratam profundamente a pele.
 
Paschoal Rossetti Filho – Professor de Cosmetologia e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética.
SAC: 0800 777 5666

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Rodrigo Hernandes

Fonte:Universo da Mulher