Rio de Janeiro, 27 de Maio de 2020

Mulheres podem engravidar até os 55 anos

Já foi comprovado que cerca de 15% da população mundial tem dificuldade para engravidar e em alguns casos o problema está nos ovários que não produzem mais óvulos ou se produzem são de ma qualidade. No entanto essas células não estão disponíveis em bancos como há para espermatozóides. Quando isto ocorre, a gravidez só acontecerá com a técnica de fertilização “in vitro” (FIV) e com óvulos de doadoras. No entanto, estas células são raras e para isso ainda não existem bancos disponíveis.

 

Neste processo, uma alternativa são mulheres com menos de 35 anos que podem ceder, de forma anônima, parte dos óvulos coletados em seu tratamento para as que necessitam. A idade da mulher que doa é importante, pois é importante uma quantidade suficiente para compartilhar, sem prejuízo em seu procedimento. Entretanto a receptora pode engravidar até os 55 anos, apesar de já ter sua fertilidade impossibilitada.

 

Para o especialista em infertilidade Arnaldo Cambiaghi, este programa, conhecido como ovodoação, beneficia dois casais simultaneamente: aquele cuja mulher não tem óvulos viáveis para engravidar e o outro que poderá doar e com isso reduzir os custos do procedimento. Já que este é um processo em que duas FIV são realizadas consecutivamente. O tratamento envolve questões éticas, portanto é essencial o acompanhamento médico e psicológico.

 

A maior dificuldade é encontrar doadoras de origem japonesa. “As doadoras geralmente precisam ter menos de 35 anos, saudáveis, sem antecedentes familiares, genéticos ou pessoais de doenças, e com características físicas (altura, peso, cor do cabelo, olhos, tipagem sanguínea) semelhantes às da pessoa que vai receber o embrião”, esclarece o médico. Este ato generoso pode ser premiado com a redução vantajosa do custo do tratamento. Assim, mulheres, principalmente japonesas poderão ter seus filhos. Tanto as que recebem os óvulos como as que doam.

 

Essas mulheres que possuem os requisitos para serem doadoras são informadas antes do início do tratamento sobre a possibilidade de doar óvulos.

 

Interessadas no Programa de Ovodoação podem entrar em contato com Mariana, no Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (IPGO), pelo telefone (11) 3885-4333.

 

 

 

 

 

 

 

Crédito:Anna Elizabeth

Autor:Patrícia Prado

Fonte:LaVida Press