Rio de Janeiro, 15 de Julho de 2020

Temperos e ervas - pitadas de sabor e saúde

Ervas e temperos - pitadas ricas em sabor e saúde
 
Classificadas como alimentos funcionais, elas têm grande poder curativo
 
Ervas como o estragão, orégano, cebolinha, dill, menta, tomilho, salsa, alecrim, sálvia, entre outras, além de conferirem um sabor único às refeições, acrescentam também substâncias químicas benéficas à saúde.  As ervas também podem ser usadas para diminuir a quantidade de sal usada no preparo dos alimentos. Segundo o gastroenterologista José Figueiredo Penteado, diretor da Rio Gastroclínica e professor da UFRJ, há tempos essas substâncias isoladas dos alimentos vêm sendo usadas para tratar doenças e o potencial terapêutico desses alimentos está sendo estudado em vários países.

Alimentos funcionais são definidos como substâncias biologicamente ativas que trazem benéficios a saúde.  E nessa categoria de alimentos funcionais estão incluídas também as ervas e especiarias. Especiarias e ervas aromáticas são substâncias usadas para ressaltar o sabor natural dos alimentos ou para conferir um novo sabor às preparações. São chamadas de temperos nas receitas doces ou salgadas. "As ervas estão sempre relacionadas às especiarias, mas existem diferenças entre elas", explica Penteado.

Considerando o conteúdo elevado de compostos anti-cancerígenos e benéficos a saúde, associados as ervas e temperos desde os tempos mais remotos, é bom saber que essa riqueza está bem próxima a nós.  O gastroenterologista José Figueiredo Penteado, junto a nutricionista da Rio Gastroclínica, Martha Campos Braga, preparou uma lista com os efeitos no organismo de algumas ervas e especiarias... 
 

Alho

O alho é uma das mais antigas ervas medicinais citadas para tratar sintomas de resfriados, infecções pulmonar e digestiva. Seu cheiro característico é devido a um grupo de compostos que contém enxofre, mais precisamente a alicina.  

Alecrim

Planta originária da região do Mediterrâneo, o alecrim é chamado de erva da lembrança. Um ramo de alecrim era trocado entre os namorados por conter um aroma que revigora a memória e melhora o humor. Esse óleo volátil, chamado rosemaricina, melhora a circulação, estimula a digestão e possui um efeito levemente diurético. 

Canela

Foi a canela que deu origem à primeira das multinacionais, a holandesa Companhia das Índias Ocidentais, que durante muitos anos controlou sua extração. Os árabes cobravam pedágio para deixá-la passar para a Europa.

A canela tem sido usada há séculos para tratar náusea, vômito e problemas digestivos. O óleo de canela contém eugenol, um leve sedativo para a dor que relaxa a musculatura. O composto mais estudado na canela é a metil-hidroxicalcona (MHCP), que imita a ação da insulina e ajuda a equilibrar os níveis de açúcar no sangue. 

Cúrcuma

A cúrcuma possui várias propriedades anticancerígenas que podem ser responsáveis pelas diferenças na incidência de vários tipos de câncer observados entre a Índia e a América do Norte. O acréscimo diário de uma colher de chá de cúrcuma às sopas, molhos e pratos de massa representa um modo simples, rápido e econômico de ter um aporte de cúrcuma suficiente para prevenir o desenvolvimento do  câncer. Possui substância com propriedades antiinflamatórias que melhoram o metabolismo hepático e reduzem o colesterol.  

Cominho

Os cientistas israelenses identificaram no cominho uma substância com propriedade para prevenir o câncer. Entre  os condimentos analisado, foi o mais potente para prevenir o câncer urológico. Contém cálcio, Vitamina B1 e B2 e por isso ajuda na desintoxicação do fígado. 

Cebolinha

Introduzida no Brasil pelos portugueses, a cebolinha tem um sabor semelhante ao da cebola, pois pertence a mesma família desta e do alho. Como os seus parentes próximos, possui propriedades bactericidas, ajuda a controlar a pressão arterial e contém as vitaminas A e C.  O cheiro da cebolinha estimula a liberação de sucos digestivos. 

Coentro

Contém três flavonóides antioxidantes e óleos essenciais que ajudam na digestão e possuem propriedades bactericida e fungicida. São eles o linalol, o pineno e o terpinino. A semente de coentro é rica em vitamina C, vitaminas do complexo B e cálcio. Acompanha bem frutos do mar e é gostoso também para temperar aves.´ 

Louro

É um estimulante dos sucos digestivos. Contém fitonutrientes, chamados partenolidos, que previnem a dor de cabeça. Alguns estudos nos EUA têm demonstrado que o louro ajuda a estabilizar os níveis de glicose no sangue. 

Manjericão

Contém monoterpenos com propriedade antioxidante. Ajuda na digestão, alivia cólicas, diminui a formação de gases; tudo isso graças ao eugenol, que é bom também para dores musculares.  

Noz moscada

Essa erva é incluída nos remédios para náusea, má digestão e cólica, graças à  miristicina. 

Orégano

Contém antioxidantes, muito cálcio e um óleo essencial com propriedade fungicida. Ele estimula o sistema imunológico, melhora a digestão e o trato respiratório.  

Pimenta

O Brasil é o país da pimenta. Temos pimenta de cheiro, dedo de moça, malagueta, pimenta do reino, todas saborosas e muito bem adaptadas a nossa culinária. A capsaicina, substância encontrada na pimenta, é usada para tratar vários tipos de dores. É um potente vasodilatador e descongestionante. Muitos consideram a pimenta uma super erva, e a capsaicina não apenas melhora a dor, mas também libera endorfinas no cérebro. Também é uma fonte natural de vitaminas A e C. 

Tomilho

Como a maioria das ervas culinárias, o tomilho é digestivo. Contém óleos voláteis, entre eles o timol, que fortalece o sistema imune e tem ação bactericida, fungicida e antiviral.

 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Graciette Grace

Fonte:Universo da Mulher