Rio de Janeiro, 18 de Agosto de 2019

Exame completo evita ‘pé diabético’

Médicos podem prevenir que pacientes sofram amputações
 
 
A cada 30 segundos, um diabético tem pé ou perna amputados no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).
 
Além disso, portadores da doença têm de 10 a 40 vezes mais chances de sofrer a lesão comparado a pessoas saudáveis.
 
A OMS lembra que através do controle da hiperglicemia cerca de 85% das amputações seriam evitadas.
 
A neuropatia diabética (ou ‘pé diabético’), causada pelo excesso de açúcar no sangue, é a principal causa de internação de portadores da doença e acomete quase metade dos diabéticos.
 
Segundo o mestre em endocrinologia Luiz Clemente Rolim, o paciente deve ter o pé examinado toda vez que for ao consultório.
 
Entretanto, 65% dos médicos nunca realizaram a prática durante as consultas, de acordo com a Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes.
 
“A neuropatia é a lesão nos membros causada pelo açúcar elevado. O dever de examinar é do médico e não do paciente. Só 25% dos diabéticos apresentam dor nos pés. Muitas pessoas sentem formigamento e não contam. O médico precisa perguntar tudo”, declara.
 
A endocrinologista Geísa Macedo, presidente do Instituto Brasileiro de Diabetes, explica que o que causa amputação é a falta de controle da doença.
 
Esse desequilíbrio, diz ela, pode causar lesões nos nervos, vistas e rins, e trazer ainda problemas digestivos, cardiovasculares, urinários e sexuais.
 
“Diabetes não controlada pode provocar dormência no pé e nas mãos. Com isso, o paciente não percebe machucados. Se isso não for tratado logo, pode virar uma infecção e levar à amputação”, explica.
 
Os primeiros sinais de lesão nos pés aparecem cerca de 15 anos após o diagnóstico. Segundo a SBD, entre 4 e 10 milhões de pessoas no Brasil sofrem de neuropatia.

 
 
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Redação

Fonte:Universo da Mulher