Rio de Janeiro, 23 de Maio de 2019

Saúde

SEDENTARISMO É A DOENÇA DO SÉCULO - A Medicina Esportiva orienta como se prevenir da enfermidade que mata como os males do coração

Responsável por 2 milhões de mortes anualmente no mundo, segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), pessoas sedentárias podem desenvolver males como Hipertensão Arterial, Infarto Agudo do miocárdio, Obesidade, Depressão, Déficit cognitivo, Ansiedade, Diabetes, Câncer, Aterosclerose, Artrose, Doença Pulmonar, Colecistopatias, Osteoporose, aumento do Colesterol ruim.

Leia mais

Técnica de Reconstrução Músculo-Articular da Coluna Vertebral apresenta 87% de bons resultados

A dor na coluna é a segunda maior fonte de reclamação das pessoas. E segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, 85% da população vai viver ao menos um episódio de dor nas costas ao longo da vida.

Leia mais

Ibope apontou que depressão altera apetite e diminui o desejo sexual

As mulheres latino-americanas acreditam que conhecem os sintomas da depressão, afirmam buscar o médico como principal fonte de informação e garantem que um dos principais problemas da doença e seu tratamento são alterações no apetite e diminuição no desejo sexual.

Leia mais

Diabetes também deve ser tratada no oftalmologista

Falta de controle da taxa de glicemia (açúcar) no organismo pode gerar problemas irreversíveis aos olhos. Pequenas hemorragias e inchaços na retina, descolamento de retina, hemorragias vítreas (sangramento dentro do globo ocular) e até cegueira total constituem o quadro de evolução da retinopatia diabética.

Leia mais

Esperança para o tratamento do câncer de próstata

A busca de soluções para a principal causa de morte por câncer entre os homens, o de próstata, é uma preocupação de pesquisadores em todo o mundo. O urologista José Pontes Júnior e sua equipe descobriram duas moléculas presentes nos cânceres malignos que permitem que a doença se espalhe pelo organismo. Hoje, a equipe trabalha com a possibilidade de se usar as moléculas como marcadores, fornecendo...

Leia mais

CIRURGIA RECUPERA AUTO-ESTIMA E QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES COM HIPERTROFIA DOS PEQUENOS LÁBIOS VAGINAIS

Uma cirurgia simples, com anestesia local, cerca de 40 minutos de duração e alta no mesmo dia pode resolver o problema de mulheres que sofrem com a hipertrofia (crescimento excessivo) dos pequenos lábios vaginais, que vai além do incômodo estético e emocional. A intervenção, apesar de ainda ser vista como um tabu por muita gente, é importante para evitar o surgimento de infecções na região vaginal, como a candidíase, por exemplo. Além disso, o excesso de pele no local pode provocar dores e incômodos durante a penetração sexual.

Leia mais

Tratamento multidisciplinar beneficia vítimas de derrame cerebral

Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, pode comprometer diversas funções do corpo, entre elas a cognitivo-comportamental, que está diretamente relacionada à fala, à deglutição e às percepções sensoriais.

Leia mais

MENOPAUSA E OSTEOPOROSE

Diagnóstico precoce, esta é a solução para lidar com a menopausa e seus sintomas. Além de marcar a última menstruação, a menopausa determina o fim do período fértil da mulher. Os ovários param de produzir os hormônios estrógeno e progesterona. Isso pode acarretar inúmeras complicações, dentre elas a osteoporose.

Leia mais

CAMPANHA - Cirurgias com mais segurança e menor custo

Os hospitais credenciados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) realizaram 2,7 milhões de cirurgias de diferentes níveis de complexidade, de janeiro a setembro deste ano. Foram gastos até agora R$ 2,7 bilhões. Diante de um universo dessa dimensão, evitar complicações pós-cirurgia, reduzir tempo de internação e custo são metas fundamentais para garantir melhor qualidade aos serviços prestados. Com esse intuito, foi lançada nesta quarta-feira (10), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, a campanha “Cirurgias Seguras Salvam Vidas”, uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

Leia mais

DADOS INÉDITOS - Cânceres matam mais mulheres em idade fértil

As neoplasias (grupo que reúne os vários tipos de câncer) foram responsáveis pela maior quantidade de mortes entre mulheres em idade fértil no Brasil, em 2005. Esta é a primeira vez que a publicação aborda o perfil da mortalidade entre mulheres em idade reprodutiva, com idade de 10 a 49 anos.

Leia mais

Cólicas muito fortes em adolescentes podem indicar a presença de endometriose

Cólicas incapacitantes são o primeiro sintoma da doença que pode levar à infertilidade na idade adulta e que tem muito mais chances de ser tratada com um diagnóstico precoce.

Leia mais

SABEDORIA ORIENTAL - Como aliviar a dor quando ela se torna doença

A fibromialgia é reconhecida como doença e seu sintoma mais característico são as dores musculares espalhadas por diversas partes do corpo ou até nele todo. Através de suas várias especialidades, a Medicina Chinesa auxilia muito na qualidade de vida dos portadores dessa disfunção.

Leia mais