Rio de Janeiro, 22 de Julho de 2024

Acessórios eróticos em alta

Homens buscam acessórios eróticos para satisfazer parceiras

Atingir o orgasmo durante a relação sexual com o parceiro é um desafio para muitas mulheres, principalmente para aquelas que nunca tiveram essa sensação.

É muito difícil para a mulher chegar ao orgasmo apenas com a penetração, e muitas delas não conhecem o próprio corpo.

Por isso, o público feminino já tem buscado formas de obter prazer sozinha, por meio do autoconhecimento e da masturbação.

Mas a novidade é que os homens também começaram a entender a importância do prazer feminino para a relação do casal e estão buscando formas de satisfazer a parceira.

Um levantamento feito pela Diversão e Amor (www.diversaoeamor.com.br ) mostrou que a procura por acessórios eróticos entre o público masculino registrou um aumento de 36% nos meses de julho, agosto e setembro em comparação com o trimestre anterior (abril, maio e junho).

E como nossa loja é focada em produtos para o prazer da mulher, esse dado comprova o crescimento da preocupação masculina em satisfazer sua parceira com ampliação do investimento em acessórios para o prazer dela.

Na distribuição por idade da pesquisa, a maior parte dos homens que adquire acessórios eróticos têm entre 25 a 34 anos, com 33,78%, seguido pelo público masculino de 18 a 24 anos (20,76%), 35 a 44 anos (20,59%), 45 a 54 anos (12,50%), 55 a 64 anos (8,60%) e homens acima de 65 anos (3,78%).

Os homens começaram a entender que o prazer feminino também é importante para a relação e que há muitos tipos de orgasmo e, portanto, há diversas formas de alcançá-los. Para quem nunca experimentou, existem acessórios como os sugadores de clitóris ou vibradores menores, como os bullets, que ajudam nesse processo de autodescoberta com ou sem o parceiro.

Um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade Charles em Praga, na República Tcheca, e do Centro de Saúde Genital e Educação, identificou três tipos de orgasmo feminino: "onda", "avalanche" e "vulcão".

A descoberta foi publicada na revista científica Journal of Sexual Medicine. Outro dado interessante é do estudo Archives of Sexual Behaviors, que afirma que 60% das mulheres em relacionamentos heterossexuais fingem orgasmo e para 55% delas o principal fator é a falta de autoconhecimento. E uma pesquisa realizada pelo Departamento de Transtornos Sexuais da USP apontou que 55% das brasileiras não têm orgasmos nas relações sexuais.

O uso de sex toys entre os casais também têm deixado de ser um tabu. Os acessórios estimulam a vida sexual. São bastante recomendados para quem deseja conhecer melhor seu próprio corpo.

O orgasmo feminino ainda é um assunto que encontra muitas barreiras. Mas é preciso colocar o assunto em pauta e desmistificar algumas informações, como de que a mulher só consegue chegar lá por meio da penetração.

Muitas mulheres nunca tiveram um orgasmo na vida, e elas podem ter o próprio prazer com ou sem o parceiro. E os vibradores podem ser a porta de entrada para isso. Mas é importante que o parceiro compreenda que a esposa ou namorada também pode se satisfazer sozinha.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Natália Cavalcante

Fonte:Diversão e amor