Rio de Janeiro, 28 de Outubro de 2020

As mulheres e o auto-cuidado

Seja uma mulher de peito: toque-se!

“A mulher precisa se conscientizar de que a mama é sua, não é do marido, nem do filho.”
 
 

Maira Caleffi*


Por mais incrível que possa parecer, os cuidados com a saúde ainda não são prioridade na agenda das brasileiras. Parece que o estereótipo da “rainha do lar”, que controla e resolve os problemas de todos os membros da família, mas esquece dos seus, continua imperando. Trata-se de um comportamento já arraigado em nossa cultura, mas que precisa ser alterado o quanto antes. Por quê? Para que nossas mulheres vivam mais.

 

Sim, muitas brasileiras morrem todos os anos porque deixam de lado cuidados básicos, como ir ao médico regularmente, manter em dia seus exames de rotina e conhecer o próprio corpo. No campo da saúde das mamas, para citarmos apenas um exemplo, a realidade é assustadora: metade das mulheres com mais de 50 anos no país nunca fizeram mamografia – o principal exame para a detecção precoce do câncer de mama, que deve ser feito anualmente a partir dos 40 anos.

 

É para incentivar essa urgente mudança de comportamento que o IMAMA – Instituto da Mama do RS, em sintonia com um movimento que vem acontecendo internacionalmente, está incentivando as mulheres a praticarem o auto-cuidado. O que isso significa? Significa, em primeiro lugar, priorizar sua saúde, seu bem-estar e sua qualidade de vida. Significa se colocar como protagonista em sua própria história de vida. Parece óbvio, mas não é. Poucas de nós conseguem fazer isso.

 

Quem acompanha um pouco o campo da saúde da mulher pode estranhar a troca do termo auto-exame por auto-cuidado, mas ela é proposital. Trata-se de uma evolução da prática, por ser mais global, mas também significa tirar das costas da mulher a responsabilidade por um diagnóstico médico que ela, como leiga, não é capaz de fazer. O auto-exame continua sendo importante e incentivado, mas para que a mulher conheça seu corpo e acompanhe as mudanças entre um exame médico e outro.

 

Neste mês de março, tradicionalmente dedicado às mulheres, gostaríamos de ver ações concretas, mudanças reais na vida das brasileiras, que extrapolem o discurso e sejam incorporadas ao dia-a-dia. Cuidar da família é um prazer do qual nenhuma de nós quer abdicar, mas, antes disso, precisamos cuidar de nós mesmas.

 

* Presidente do IMAMA – Instituto da Mama do RS.

 

 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Lívia Costa

Fonte:Universo da Mulher