Rio de Janeiro, 02 de Março de 2021

Alerta a Mulher

De acordo com a  especialista em casos de emergências como o infarto, Dra. Sandra Lumer, diretora médica da "A Vida Emergências Médicas" é grande a frequência de  infarto em mulheres mais jovens estar relacionada com o papel de liderança que estas têm assumido na sociedade, ao uso do tabaco, drogas e alguns  fatores como história familiar de doenças cardiovasculares; hipercolesterolemia; stress; hipertensão arterial; álcool; sedentarismo; obesidade.
 
"O tabagismo associado ao uso de anticoncepcional anula a proteção do hormonio feminino" ( estrogênio), explica a médica.
 
No periodo da menstruação e menopausa ,os riscos de infarto aumentam significativamente, pois os níveis do hormônio estrogênio( hormônio que protege as mulheres de doenças como o infarto)  diminuem consideravelmente", afirma a Dra. Sandra Lumer.
 
Segundo um estudo publicado no The New England Journal of Medicine, entre as pessoas de menos de 50 anos ( homens e mulheres) que sofrem um infarto agudo do miocárdio, as mulheres têm 2 vezes mais possibilidades de morte em conseqüência de um infarto, quando comparadas aos homens. 
 
Uma pesquisa publicada no jornal americano Heart, a saúde do coração feminino varia com o ciclo menstrual. Durante as semanas, imediatamente antes e depois da menstruação, aumenta a ocorrência de dores no peito e infartos

 "Evitar o infarto é basicamente evitar os fatores de risco mencionados além de um controle médico efetivo com a adoção de hábitos saudáveis, controle do stress, atividades fisicas regulares", alerta a especialista.
 
Uma em cada três pessoas que sofre um ataque cardíaco não sente dor no peito
 
Em certos grupos de pacientes, como mulheres, diabéticos e idosos, a incidência do sintoma é significativamente menor.
 
"É importante saber que o infarto pode cursar com outros sinais e sintomas que não dor torácica, tais como: dor abdominal, diarreia, suores frios, palidez, nauseas e vômitos." - ressalta a Dra. Sandra Lumer.
 
O infarto é a falta de circulação em uma área do músculo cardíaco, cujas células morrem por ficarem sem receber sangue com oxigênio e nutrientes.
 
É causado pelas placas de gordura que entopem as artérias coronárias,  interrompendo do fluxo de sangue para o coração.
 
Como evitar o Infarto
 
* Evite alimentos gordurosos e ricos em colesterol.
* Para de fumar. O cigarro aumenta a pressão e favorece a formação de placas de ateroma e aumenta freqüência   cardíaca.
* Se você é fumante e não consegue parar evite as pílulas anticoncepcionais.
* Use sal com moderação
* Faça exercícios regularmente, sob orientação médica e após teste de esforço. Lembre-se que caminhar é melhor que correr.
* Consuma álcool com moderação.
* Modifique seus hábitos, evitando situações de stress.
* Depois dos 35 anos ou conforme orientação médica, faça uma dosagem anual de colesterol.
* Se for diabético, redobre os cuidados com o infarto. 

         
 
 
 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Carolina de Senna

Fonte:Acess Comunicação