Rio de Janeiro, 27 de Maio de 2020

Dicas sobre asma na infância

Cerca de 100 a 150 milhões de pessoas no mundo - o equivalente a população da Rússia – sofrem de asma e anualmente 180 mil morrem desta doença.
Asma ocorre em qualquer fase da vida, sendo mais freqüente na infância.
 
No Brasil, 20% a 30% das crianças apresentam sintomas desta doença. Ela se caracteriza por ataques recorrentes de falta de ar, chiado e tosse.
 
A incidência de asma está aumentando em todo o mundo. Estudos mostram que 50% a 80% das crianças com asma desenvolvem os sintomas antes dos cinco anos mas, apesar deste dado, a doença demora muito ou, até mesmo, deixa de ser diagnosticada.
 
 
A gerente médica de Promoção à Saúde da Intersaúde, Mônica Mendonça Lima, aproveita alertar os pais quanto o problema:
 
1) Asma é uma doença crônica que pode ser controlada. Nos casos de gravidade moderada ou severa há necessidade de medicação contínua para prevenir os sintomas e as crises;
 
2) Aprendam a reconhecer o grau de intensidade das crises: na asma leve a criança tosse, chia, mas brinca, come e dorme bem; na asma moderada a tosse e o chiado atrapalham as brincadeiras e a criança acorda à noite; e na asma grave a criança não brinca, dorme pouco e sente muita falta de ar;
 
3) Os sintomas da asma predominam no período noturno ou no início da manhã. A tosse noturna é uma manifestação muito comum da asma;
 
4) Diversos fatores podem desencadear as crises de asma, entre as alterações climáticas, poeira doméstica, mofo, pólen, pêlos de animais, infecções respiratórias, alguns alimentos e medicamentos e a fumaça dos derivados do tabaco. Cerca de 1/3 dos asmáticos têm história de doença alérgica na família;
 
5) Crianças entre dois e quatro anos de idade que convivem com fumante apresentam uma probabilidade 280% maior de apresentar chiado do que crianças de famílias não-fumantes. A fumaça do cigarro também tem sido associada a maior incidência e gravidade de inúmeros distúrbios respiratórios, como rinite alérgica, pneumonia, sinusite e infecções do ouvido. Não permita o fumo em casa. Encoraje os membros da família a parar de fumar ou evitar fumar perto de seu filho;
 
6) Se você tem um animal, mantenha-o longe do quarto o tempo todo. Evite artigos domésticos que contenham penas, como travesseiros e acolchoados;
 
7) Envolva colchões, estrado de molas e travesseiros em revestimentos plásticos. Evite ter em casa tapetes e cortinas. Isso diminui a exposição aos ácaros;
 
8) Permita que seu filho participe ao máximo das atividades escolares regulares, esportes e outras ações recreativas e, encoraje-o a explorar novos interesses. Estimule-o a assumir o controle de sua doença, à medida que ele cresce;
 
9) Não o trate de maneira diferente porque ele tem asma. Certifique-se de que a doença esteja sob controle e saiba o que fazer quando ocorrerem às crises. Não entre em pânico. Isso pode alarmá-lo e piorar o quadro;
 
10) Pais e as crianças maiores devem saber reconhecer os primeiros sinais de alerta e ter sempre em mãos as medicações prescritas pelo médico usadas nas crises. Mas não hesite em procurar um atendimento de emergência se a crise estiver fora de controle.
 
 
 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Marília Ramires

Fonte:Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação