Rio de Janeiro, 23 de Maio de 2019

Carne de avestruz: uma escolha muito saudável

Carne de avestruz: uma escolha muito saudável

 De acordo com a dieta do grupo sangüíneo, a carne de avestruz pode ser consumida por indivíduos  de todos os grupos sangüíneos (A, O, B e AB) 


 

Parece com filé mignon, em maciez, sabor e aparência, mas não é...

A carne de avestruz tem apenas 1/3 das calorias da carne de boi, baixo nível de colesterol e de gorduras, é rica em ácidos graxos polinsaturados, além de ser rica em ferro e de fácil digestão. “Versátil, pode ser consumida cozida, assada, grelhada, como bife, carpaccio ou estrogonofe.

A forma de preparo não interfere em seu valor nutricional", afirma a nutricionista Mariana Reis.

Com tantas qualidades, o alimento, que ainda é considerado exótico para o brasileiro, deveria ter passe livre no prato de quem deseja manter a qualidade de vida ou ainda precisa redobrar os cuidados com a saúde.

O consumo dessa ave originária da África é recomendado por inúmeras associações médicas norte-americanas, entre elas a do Coração e a do Câncer.

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Cardiologia também reconhece a carne como um alimento funcional, graças a sua contribuição comprovada na diminuição do colesterol.

Consumida desde a antiguidade, só há pouco a carne de avestruz foi redescoberta como importante alimento. A criação brasileira da ave - a estrutiocultura - começou há pouco mais de 10 anos.

Hoje, são abatidas cerca de 50 mil aves no país por ano e o consumo ainda é restrito a restaurantes e churrascarias. Porém, ela já está à venda em supermercados e casas especializadas.

“Ainda não há uma recomendação padrão sobre a quantidade ideal de carne de avestruz a ser consumida semanalmente. A indicação é manter um cardápio variado, incluindo a ave", informa a nutricionista Juliana Schmitt. Mas para os que precisam controlar o peso, a pressão arterial e a quantidade de nutrientes no organismo, estes podem intensificar o consumo dessa carne.

Para os pacientes cardíacos, a carne de avestruz é rica em creatina, proteína reguladora do metabolismo energético do coração.

No caso dos hipertensos, o alimento possui alto teor de gorduras insaturadas (ômegas 3 e 6), que ajudam a diminuir a concentração de colesterol nas artérias.

“E para quem está acima do peso, a carne é composta por grande quantidade de carnitina, proteína responsável pelo metabolismo intracelular da gordura, que a transforma em energia. Possui baixos teores de gordura saturada e colesterol e tem baixo valor calórico”, informa Mariana Reis.

Juliana Schmitt destaca que a carne de avestruz ainda ajuda a combater a anemia em crianças e é indicada para a fase de crescimento infantil, devido a seus altos valores de ferro e índices de cálcio, magnésio e fósforo.

“No outro extremo, na terceira idade, os idosos também podem se beneficiar com o seu consumo, pois o alimento é fácil de ser digerido e mastigado, devido a baixa quantidade de gordura saturada e colágeno”, informa a nutricionista.

 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Márcia Wirth

Fonte:Universo da Mulher