Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2017

Exercícios de baixo impacto protegem articulações

Nada melhor para combater a obesidade infantil do que alimentação saudável combinada com exercícios. No entanto, quando a molecada exagera nas atividades físicas, acaba expondo o corpo a outros riscos.

“O exercício físico feito com o devido cuidado beneficia a saúde, além de ajudar no processo de emagrecimento. Em contrapartida, se for feito de maneira incorreta, causará, até mesmo nas crianças e adolescentes, sobrecarga excessiva nas articulações”, diz Gilberto Baccan Junior, instrutor de atividades físicas do Espaço Leve – Núcleo de Prevenção e Tratamento da Obesidade Infanto-juvenil, de São Paulo.

 

A obesidade e o sobrepeso já exercem uma carga constante sobre as articulações. Havendo excesso de exercícios ou prática errônea, os riscos de desgaste e problemas aumentam.

Para evitar lesões, crianças e adolescentes devem praticar preferencialmente atividades com movimentos de baixo impacto, que utilizem força e agilidade para fortalecer a musculatura.

Baccan recomenda um circuito de atividades com corrida, brincadeiras de agachar e rastejar, escalada e esportes aquáticos. Jogos e brincadeiras que envolvam muitos saltos devem ser evitados.

 

Antes, durante e depois de qualquer atividade física, crianças e adolescentes têm a mesma recomendação que os adultos: fazer alongamento e aquecimento, ficar atento à postura corporal durante os exercícios e aliar alongamento com relaxamento após o término das atividades.

Quem sofre com obesidade e sobrepeso deve ter cuidados redobrados com as articulações dos membros inferiores (joelho e tornozelo), e com a coluna. Os riscos de lesões são maiores.

 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Daiane Oliveira

Fonte:Ex-Libris Comunicação Integrada