Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2017

Dança do Ventre: A diferença faz o todo

Dança do Ventre: A diferença faz o todo

Como em toda profissão, como em toda arte, como em qualquer ofício, sabemos que o que difere um do outro são atitudes, visões que o levam a decidir como fazer ou desenvolver seu propósito da melhor maneira possível.

 

 Isso também acontece com a dança do ventre, tão respeitada e conceituada por algumas profissionais e, ao mesmo tempo, tão banalizada por profissionais que deixaram de buscar raízes e se entregaram as suas vaidades pessoais somente.

 

Uma pena, pois esta dança milenar é ainda uma grande fonte de saúde mental, emocional e física para todas as mulheres que querem cuidar de si utilizando a dança como apoio.

 

De origem libanesa por parte de avós paternos ( Beiruth), Sandra Salem se apaixonou muito cedo pela dança, em especial pela dança do ventre. Um dom que não consegue explicar e a facilidade de sentir, entender e interpretar essa dança, fez desta bailarina a única de sua família.

 

Formada em psicologia, Sandra Salem diz que não quer de modo algum  que suas  aulas de dança sejam confundidas com sessões de psicoterapia, mas admite que essa formação influencia o seu olhar sobre suas  alunas.

Durante a entrevista Sandra brinca: "Acho que estou ficando especialista em traumas." 

Isto porque várias alunas que foram ao seu stúdio em busca de aulas de dança, sentiram-se emocionalmente traumatizadas, ridicularizadas ou tiveram seu potencial diminuído por antigas  professoras que fizeram cobranças em momentos inapropriados.

 

" Vejo as diferenças com bons olhos e trabalho com elas. Respeito o ritmo e os limites de cada uma de minhas alunas . É isso que traz a confiança de volta.", diz Sandra Salem.

 

Seu lema é incentivar suas alunas a  não se compararem com as demais colegas,  mas   comparar-se a si mesma dentro de uma caminhada evolutiva.

 

Perguntas do tipo: - Como eu era antes? - Como estou agora? - O que eu já consegui conquistar? - Onde eu ainda quero chegar? , são fundamentais para qualquer bailarina. E aplicando métodos e incentivos como estes, normalmente ela  consegue reverter o "estrago" causado no passado por uma professora inexperiente.

 

"Os resultados aqui tem sido excelentes!!! Meninas que chegaram até mim acreditando serem  incapazes de dançar já estão dançando! As que chegaram com trauma de se apresentar em público, já se apresentaram em  grandes festas!!!", exclama Sandra Salem, feliz com os resultados.

 

Outro cuidado que Sandra Salem tem desde o início de sua carreira que conta com uma vasta experiência, inclusive internacional, são com as apresentações em público.

Sandra Salem sempre se apresentou em festas de família, comemorações, batizados, aniversários, casamentos, casas de show sérias e sempre manteve a postura de levar ao público o que ela sente quando dança. Ela diz que a  grande diferença é dançar com o coração despido, livre de vaidades. Acredita que é  importante a bailarina conhecer as raízes da dança do ventre  que estão lá na dança primitiva onde as mulheres dançavam  para conversar com deuses e deusas. Hoje, segundo Sandra Salem, as bailarinas que conseguirem manter esse propósito tão elevado, serão sem dúvida mais elegantes e fascinantes. As que usarem a dança como meio de oração, devoção e comunicação entre céu e terra , certamente levarão alegria e encantamento ao seu público. As que dançarem esperando muitos elogios podem cair na vulgaridade.

 

Sandra ainda acrescenta que muitos de seus clientes já tiveram experiências ruins com outras bailarinas. E hoje, quando é contratada, fica feliz por saber que as pessoas que a chamam  estão preocupadas  com a qualidade do show, a elegância  e a conduta ética, pois é  a bailarina que faz a sua imagem e,  consequentemente a imagem da dança do ventre perante o seu público.

 

O fato é que as mulheres não devem se desanimar nunca, pois sem dúvida, a dança do ventre tonifica, modela o corpo, traz o aumento da auto-estima e uma série de benefícios necessários à saúde mental e física da mulher, que hoje vive uma rotina estressante e tumultuada. É um presente para si mesma, todavia, a preocupação de conhecer bem sua professora e sentir-se confortável com seu método de ensino são fatores fundamentais para o sucesso da mulher que quer se aventurar neste mundo lindo e culto de arte prazerosa e poderosa que é a dança do ventre.

 

 

Crédito:Marcela Melo

Autor:Sandra Salem

Fonte:www.sandrasalem.com.br