Rio de Janeiro, 18 de Fevereiro de 2019

Férias escolares: diversão combina com segurança

A ong Férias Vivas  orienta sobre cuidados que  os pais devem tomar na hora de programar a viagem e o lazer dos filhos
                 
 
Garantir que tudo saia perfeito, da saída ao retorno para a casa, é uma das  tarefas dos pais no momento em que programam as viagens, os passeios, as diversões dos filhos durante as férias,  estando ou não na companhia deles durante a programação. 
 
É disso também que, entre outros pontos, cuida a Associação Férias Vivas (www.feriasvivas.org.br), ong que tem como missão “educar para o lazer e o turismo seguro e responsável”.
                 
Para que toda e qualquer possibilidade de transtorno seja afastada, Férias Vivas alerta sobre a necessidade de se observar algumas regras básicas.
 
“A primeira delas é ter consciência de que acidentes podem ocorrer. A segunda,  que eles podem ser evitados. A partir daí basta seguir os outros passos, sabendo que a segurança é o nosso maior patrimônio”, ressalta Sílvia Basile, presidente e uma das fundadoras da Ong.
                 
Sílvia reforça que a segurança no turismo envolve, primordialmente, pessoas.
 
Tanto os clientes como os prestadores de serviços, equipamentos, procedimentos, as próprias empresas e as organizações públicas”. Tendo isso em vista, a presidente enumera algumas regras:
 
- procurar empresas legalmente constituídas;
 
- praticar atividades somente  com profissionais habilitados;
 
- verificar o estado de manutenção dos equipamentos envolvidos nas atividades;
 
- em atividades na água checar, principalmente, os coletes salva-vidas, a validade desses, se estão de acordo com o tamanho e peso de quem vai usá-los.
 
- em outras atividades, equipamentos individuais podem ser capacetes, calçados, cordas  etc, que devem estar em boas condições;
 
- informar-se a respeito da atividade que se vai praticar: circuito, duração, possíveis obstáculos, comunicação com a base e rotas de escape.
 
- no caso de passeios aquáticos: verificar também o número máximo de passageiros permitido na embarcação, a capacidade do condutor, pedindo pelo menos que apresente a carteira de arrais (carta de habilitação), se o local possui autorização para a prática da atividade e as condições do barco;
 
- nos passeios de buggy, perguntar de imediato sobre a carteira de habilitação do condutor;
 
- considerar muito as condições do tempo em qualquer atividade a ser desenvolvida;
 
- questionar o condutor da atividade sobre possíveis imprevistos: ele deve estar preparado e ter um planejamento consciente nestes casos;
 
- prestar atenção para o seguinte detalhe: operadores conscientes minimizam todos os riscos da atividade. Fazem perguntas aos participantes da aventura (se sabem nadar, se têm algum problema de saúde, apresentam os equipamentos e fornecem as informações necessárias);
 
- nunca confiar num fornecedor que diz "deixa comigo, nunca tive problemas com isso";
 
- ao decidir participar de uma atividade, tente não levar em consideração apenas o aspecto financeiro;
 
- no caso de atividades em conjunto, o ideal é ter um grupo formado apenas por crianças e outro por adultos. As atrações mais radicais do passeio seriam mais leves para o grupo infantil;
 
- procure conhecer a técnica da atividade e dos equipamentos. E só então decida se quer ou não correr o risco.
                 
 
Para os interessados em conhecer mais detalhes sobre as diferentes atividades, a  Férias Vivas tem publicações específicas.
 
Os livros “Dicas de Atividades Turismo e Lazer”, “Códigos de Conduta de Atividades Turismo e Lazer”, “Dicas Pousadas e Hotéis”, “Acidentes em Turismo: prevenção e segurança, Responsabilidade Civil e Responsabilidade Penal” que podem ser adquiridos através do site da entidade.
 
Sobre as Férias Vivas
                 
Férias Vivas é uma entidade sem fins lucrativos, que nasceu em 2002 com a missão de “educar para o turismo seguro”.
 
Motivada por uma tragédia pessoal a fundar a ONG, a diretora-presidente Sílvia Basile explica:
“o nosso foco é a prevenção e a segurança em turismo e lazer; a nossa missão, minimizar os acidentes nessas áreas. Assim, o conceito da Férias Vivas é o de preservar a vida humana, perseguindo o  lema ‘pratique com segurança’. O que permeia tudo isso é a idéia de que com segurança você vai mais longe”.
                 
A Ong conta com o trabalho voluntário e permanente de um grupo de profissionais atuantes em áreas diversas e tem sempre a adesão de amigos e simpatizantes à causa nos momentos que exigem mais disponibilidade de tempo, como a participação em evento, por exemplo.
                 
Os interessados em conhecer mais sobre a atuação da Férias Vivas, seu histórico, dicas, publicações, produtos, como tirar dúvidas, entre outros, devem acessar o  site www.feriasvivas.org.br.  
 
 

Crédito:Cristiane Padilha

Autor:Luiz Affonso

Fonte:Universo da Mulher