Rio de Janeiro, 22 de Julho de 2019

Reversível

O espaço perdido virou...

Veja como tornar úteis alguns dos famosos "micos" das casas e apartamentos: os minúsculos quartos de empregada ou os chamados “terceiro reversível”.

O tapete, da Século, cobre todo o piso do escritório. Na janela, persiana rolô, adquirida na Decorita. Ela dá privacidade ao ambiente, quando fechada, sem vedar totalmente a luminosidade. Perto da poltrona, porta-revistas da Tânia Bulhões Home.

...escritório (4,5 m2)

O morador desta casa, um empresário, divide seu tempo entre Sorocaba e São Paulo. Quando está na capital precisa de uma base para trabalhar, pois sua fábrica fica no interior. Então, as arquitetas Tatiana Isola e Carla Santana sugeriram transformar um dos dois quartos de empregada, de 4,5 m2, em escritório. Para isso foi preciso uma alteração: a entrada do ambiente agora se dá pela garagem, dando privacidade ao proprietário. A porta original, que ficava ao lado da outra dependência, foi fechada. O uso de um grande tapete evitou a troca do piso cerâmico. Destaque para os toques de vermelho, que quebram a frieza do branco, e da poltrona, que cria um canto acolhedor. Ela coube porque a mesa foi encostada na parede. "Se ficasse no centro, tomaria todo o espaço", diz Tatiana.

Sobre a mesa, da Quartos & Etc..., vaso de cristal da Tânia Bulhões Home. A cadeira DKR veio da Montenapoleone.

Poltrona Little Tulip, da Montenapoleone. Ao lado, luminária da Laborátorio da Luz. Lembretes importantes ficam na lousa, da Zona D.

 

Chumbada na parede, a bancada de trabalho foi feita pela Exata Marcenaria. De madeira, está revestida de laminado melamínico preto brilhante. A persiana, também de madeira, da Tok & Stok, é vendida em tamanhos padrão. Por isso, teve de ser cortada na medida desejada e pintada com spray branco.

...ateliê e escritório (5,9 m2)

O apartamento da decoradora Carminha Dabbur tem dois quartos de empregada e só um era utilizado. Ao lado das arquitetas Fernanda Dabbur e Flavia Lavrador, decidiu criar na área desocupada de 5,90 m2 um lugar para pequenos consertos e pintura. O trio, então, mandou fazer uma bancada, presa à parede, revestida de laminado melamínico brilhante. O material lembra a laca com a vantagem de ser mais barato e prático, pois não risca com a mesma facilidade. Outra preocupação com economia fica clara na persiana de madeira. Elas escolheram um modelo vendido em medidas padrão. Cortaram-no e o pintaram de branco. Como Carminha sentia falta de um roupeiro, o espaço também assumiu esta função. Para isso, recorreram a um armário que estava perdido em outro cômodo.

 

 

 

 

 

O roupeiro, da Exata Marcenaria, estava em outro cômodo do apartamento. Ele foi desmontado e colocado no quarto de empregada. O quadro de avisos foi encontrado numa papelaria e o baú de vime, na Ceagesp.

As prateleiras, também executadas pela Exata Marcenaria, foram revestidas com laminado melamínico branco, também brilhante.

 

Veja como tornar úteis alguns dos famosos "micos" das casas e apartamentos: os minúsculos quartos de empregada ou os chamados “terceiro reversível”.

...closet (4 m2)

A suíte de uma moça de 20 anos tinha pouco espaço para um armário. "Caberia apenas um de duas portas. Insuficiente para a quantidade de roupas que ela tem", conta a designer de interiores Ita Rodrigues. Para resolver a questão, a profissional recorreu à dependência de empregada de 4 m2, que não era utilizada, e criou um closet. Ita precisou fechar a entrada original e colocar outra, voltada para o dormitório. Desenhou um armário em U com gavetas, varões e nichos para sapatos e bolsas. A área de circulação tem 70 cm de largura, contra os 90 usuais, segundo Ita. Mas, dá para a pessoa se movimentar, abrir gavetas, etc. Toda metragem foi milimetricamente aproveitada. Nem a parede atrás da porta, única sem armário, escapou. Nela está preso um cabideiro para cintos.

O armário, revestido de pau-marfim, foi desenhado pela designer de interiores e executado por seu marceneiro. No piso, optou pelo carpete de madeira da Mayma. A La Lampe assina a iluminação, toda feita com lâmpadas dicróicas. Caixas em nichos guardam objetos menores e deixam o ambiente organizado.

Logo atrás da porta, a designer de interiores prendeu um pendurador de cintos na parede, aproveitando cada centímetro do closet.

Aqui, o armário tem 55 cm de profundidade para guardar as roupas de pendurar, gavetas com visor de acrílico e pranchas que correm por trilhos, onde estão dispostos os sapatos. No lado oposto, a espessura é de 30 cm e ficam apenas prateleiras para camisetas. Se a medida fosse maior, quem abrisse a porta daria de cara com o móvel.

 

...quarto de bebê (6,6 m2)

Projetado com a possibilidade de ser dependência de empregada, este quarto de 6,6 m2 conta com duas portas, uma voltada para a área de serviço. Com o nascimento da filha da moradora, a consultora Carla Jacarini, o local passou a ser o dormitório do bebê. Apesar de inutilizado até então, estava pintado de amarelo e já tinha uma persiana na mesma cor, que acabou por ditar a ambientação. O problema era a entrada extra. A solução veio do artista Samir Zavitoski, que sugeriu aproveitar o batente e criar uma moldura para um quadro de avisos. Depois encostou uma poltrona e disfarçou o obstáculo. Samir também respondeu pela restauração de uma antiga luminária de chão. Para otimizar o espaço, optou-se por um berço com cômoda acoplada.

O artista Samir Zavitoski pintou as florzinhas no rodateto e na moldura da porta, acompanhando o tom de amarelo, que já estava na parede do quarto. Regina Boteon responde pelo lustre de papel.

A moradora escolheu o berço da linha Primeira Infância, da Babylandia,em madeira pau-marfim, que já vem com a cômoda acoplada.

 

Todos os armários foram desenhados pelos arquitetos e executados pelo marceneiro da dupla em compensado revestido de laminado melamínico. Quando não está sendo usada, a tábua de passar corre por trilhos, ficando recolhida sob a última prateleira. Cesto para roupa suja da Benedixt. Relógio e vasos, Arango.

...despensa (3 m2)

Como a empregada que trabalha para o casal de moradores não dorme no apartamento, os arquitetos Ana Limongi e David Douek deram uma nova função para o dormitório de 3 m2 que seria ocupado por ela. Passou a ser despensa e quarto de passar. Para o ambiente manter-se organizado foi preciso um trabalho de marcenaria planejado. Num dos armários ficam os alimentos. Em outro, o vão interno é maior para os acessórios de limpeza: vassouras, baldes, aspirador de pó, etc. Há mais um, onde ficam as roupas a serem passadas. Nele, as prateleiras são aramadas para facilitar a ventilação interna. E por falar em prateleiras, num espaço tão diminuto parece bobagem ter algumas apenas para expor objetos. Mas são elas que dão um "respiro" ao cômodo, deixando-o leve e agradável.

 

Após serem passadas, as roupas são penduradas num varão. No quadro de avisos, da Arango, a moradora deixa as recomendações da semana para a empregada. Cortina de voile, varão e prendedores, Donatelli.

O armário cheio de prateleiras funciona como despensa. Ao lado ficam os acessórios de limpeza, da Higiene & Cia. Há lugares determinados para pá de lixo, vassouras e aspirador de pó.

Crédito:Anna Beth

Autor:Simone Quintas

Fonte:Casa e Jardim