Rio de Janeiro, 14 de Novembro de 2019

Casais preferem espaços separados

Casais preferem  espaços separados

O número de casais que decreta o fim do puxa-puxa de cobertores e cotoveladas noturnas vem aumentando significativamente. O costume está sendo incorporado à decoração e à arquitetura pelos profissionais destas áreas. A maioria dos novos apartamentos com área acima de 300 metros quadrados, já abriga dois banheiros e dois closets na suíte do casal. "Ter banheiros privativos é um costume americano ao qual muitos brasileiros estão aderindo ", diz Roberto Capuano, dono de imobiliária há 30 anos e presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado São Paulo (Creci).

 

O decorador de interiores Guilherme Rodrigues Alves aponta que cada vez mais casais pedem camas largas de solteiro para serem colocadas uma ao lado da outra. Pelo menos metade das solicitações que recebe são desse gênero. Ele atribui o fato à praticidade de cada um dormir com seus próprios lençóis. "O casal que me pede um design de cama de casal bipartida sempre fica um pouco constrangido", conta o decorador, prestes a aderir ao esquema, já por estar sofrendo com as diferenças térmicas que tem com sua esposa. "Sou calorento e minha mulher usa coberta até no verão", brinca.

 

A proposta de trocar uma cama de casal por duas de solteiro nunca parte do decorador, garante Guilherme. São seus clientes, a maioria na faixa dos 40 anos, que fazem a sugestão. A psicóloga Ligia Marcondes Machado, pesquisadora na área de análise de comportamento, não identificou motivos que explicam essa tendência: "Separar as camas e lençóis pode ser interpretado tanto como um ato de reconhecimento das necessidades individuais, como um sinal de respeito mútuo assumido", opina.

 

Tendência é ditada pelo ritmo dos novos tempos

 

Aos 35 anos, Maria Torrone, resolveu, com seu marido, separar não só as camas, como também ter quartos individuais. Aproveitou a reforma que fizeram no apartamento há quatro anos, para realizar a mudança. "Meu marido tem o hábito de ler até tarde, tem sono leve e achava que seus hábitos incomodavam meu sono", conta. Maria não acha que a transformação tenha provocado alguma alteração negativa na vida do casal.

 

 

Usar duas camas de solteiro como a cama do casal pode parecer uma nova tendência para os decoradores, mas não é nenhuma novidade para Frauke Hartmann, 69 anos. Ela adotou o uso de camas separadas com seu marido desde o início da década de 50. "Até meus bisavós já tinham este costume", lembra. Essa atitude, que Frauke acha muito natural, está na quarta geração, já que também foi adotada pela filha. "Essa história de um cobertor para dois, só pode acabar em desentendimentos", diz.

 

O ritmo de vida e as necessidades do casal devem ser colocados em primeiro plano na hora de escolher um imóvel. Além das camas e dos quartos, os banheiros separados também são uma necessidade dos novos tempos. "Para a mulher que trabalha, dividir o banheiro pode representar um grande risco de atrasos" brinca Roberto Capuano.

(K.D.)

Crédito:Anna Beth

Autor:Fatima Moreira

Fonte:Magoo Ass. Imprensa