Rio de Janeiro, 27 de Maio de 2020

Um projeto redondinho para sala de jantar e suíte

Um projeto redondinho para sala de jantar e suíte
A dona da casa queria uma mesa de jantar confortável para receber os amigos. As arquitetas queriam fugir do óbvio das salas de jantar tradicionais. O resultado foram círculos por todos os lados. Nas formas arredondadas de parede, tapete, mesa — e até do rebaixamento do teto — os círculos dominam toda a cena.

— Queríamos uma mesa de oito lugares, mas tínhamos medo de que a sala ficasse atravancada, sem área de circulação — diz a dona da casa, Márcia Romão, confessando que a princípio era contra a alternativa de uma mesa redonda.

A opção foi feita pelas arquitetas e irmãs Suzana e Tatiana Reversé. Segundo a dupla, o formato é versátil e tem um quê de coração de mãe: sempre cabe mais um, dizem, o que não acontece no caso de mesas retangulares e quadradas.

— Além disso, como não tem quina, a mesa redonda deixa a circulação mais livre e não oferece risco para as crianças — acrescenta Suzana, ressaltando que a cliente tem um filho pequeno.

A parede arredondada foi o passo mais ousado. A idéia era quebrar definitivamente o formato original da sala, extremamente retangular.

— A parede arredondada deu aconchego à mesa e se tornou também um elemento decorativo, onde lançamos mão até de uma cor mais forte. Além disso, ela tem um papel de biombo, já que esconde a porta da cozinha que saía direto na sala — explica Suzana, ressaltando que a parede foi feita de gesso, o que lhe confere leveza e facilita a remoção, no caso de os donos dos apartamento um dia resolverem retomar o formato original da sala.

Daí para frente é detalhe. O tapete foi feito sob medida para receber a mesa e o teto recebeu um rebaixamento circular, criando uma unidade no ambiente.

O resultado da sala de jantar foi tão bom que a dupla de arquitetas resolveu aplicá-lo também no banheiro da suíte do casal. Uma meia parede arredondada de tijolos de vidro de um lado e uma no mesmo formato de pastilhas do outro formam o amplo box, sem portas. No canto contrário ao box, foi criado um nicho, com prateleiras de cristal, em que são guardadas toalhas, sabonetes e xampus de uso diário.

— O espaço do banheiro era insuficiente para instalarmos uma confortável hidromassagem, por outro lado era grande demais para se usar um box tradicional. Por isso optamos pelo box grande, confortável, em que marido e mulher podem tomar banho juntos. Não fazia sentido ter um box com portas de correr num espaço amplo como aquele — justifica Suzana.

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Anna Elizabeth

Fonte:Universo da Mulher