Rio de Janeiro, 23 de Julho de 2019

A Mulher se estressa mais que o homem?

Especialista aponta dicas de como que as mulheres podem evitar o mal do século chamado stress
Mesmo tirando o sono e causando uma serie de outros problemas, é possível evitar o problema com algumas medidas simples
 
A mulher conseguiu.
 
Hoje, toma conta de casa, trabalha fora e muitas vezes cria os filhos sozinhas.
 
Faz tantas coisas ao mesmo tempo que praticamente não há uma linha divisória entre uma atividade e outra.
 
Ou, em boa parte dos casos, quando ela conta com a ajuda do companheiro, assume a maioria das demandas de um lar.
 
Mesmo vitoriosa, ela paga sozinha uma conta bem alta. Estressa-se mais, cansa mais, se culpa mais e ainda é mal compreendida pelo universo masculino.
 
Outro ponto que tem contribuído para o aumento das preocupações é, sem dúvida, a vida financeira feminina.
 
Prova disto é a recente pesquisa divulgada em vários jornais que apontam que as mulheres se estressam mais com finanças do que os homens.
 
Cerca de 30% das mulheres apresentam níveis elevados de ansiedade em relação às suas finanças, em comparação a 17% dos homens.
 
Os resultados, de um questionário preenchido por mais de 1 mil pessoas no primeiro trimestre deste ano, também mostraram que 9% das mulheres relataram "um estresse financeiro absurdo", em comparação a 3% dos homens.
 
De acordo com a sócia-diretora da Appana Mind, empresa focada no desenvolvimento humano e psicofisiologia aplicada e coach, Káritas de Toledo Ribas, a vida é repleta de compromissos, metas e cobranças.
 
“Permanecer em constante estado de tensão é bastante prejudicial para o sistema imunológico. Hoje o estresse faz parte da rotina de muitas mulheres e lidar com esse problema significa estar mais preparada também para o mercado de trabalho, alem de denotar maturidade profissional. O que pode ser prejudicial é como as mulheres lidam com o estresse. Se ela transforma a situação em um transtorno isso é altamente prejudicial, agora se desenvolve uma percepção de desafio diante do estresse, possivelmente os resultados serão de qualidade”, aconselha Káritas.
 
Mesmo tirando o sono e causando uma série de outros problemas, é possível evitar o estress com algumas medidas simples, conforme explica a especialista em medicina do comportamento.
 
“Saber identificar os pontos de estresses pode ser muito impulsionador, pois a partir desta informação a pessoa pode definir um plano de ação para lidar com a situação”.
 
Uma boa parte da pesquisa associada às técnicas utilizadas pela medicina comportamental tem nutrido interesse pela psiconeuroimunoendocrinologia, que é a área da ciência que estuda a interação entre os sistemas nervoso, imunológico, hormonal, associados aos fatores psicológicos.
 
“Esta comunicação entre diferentes sistemas parece ser principalmente regulada por meio da liberação de substâncias cerebrais deflagradas por pensamentos e emoções. Tal interação finda na liberação de hormônios como o cortisol, que preparam o corpo para luta e para a fuga, iniciando uma resposta orgânica que é conhecida como estresse”, explica Káritas.
 
O estresse é um fenômeno biológico comum e conhecido por todos nós através de nossas próprias experiências.
 
Em sua etimologia o verbete estresse tem como sinônimo o termo "strain" e remonta às origens das línguas Indo-Européias.
 
No grego antigo, era a raiz de "strangale" e do verbo "strangaleuin" que significa estrangular.
 
Em latim, a raiz formou o verbo "stringere" que significa apertar.
 
Logo, as raízes do estresse remetem à idéia do empenho de forças fundamentalmente contrárias.
 
A percepção do estresse é bem antiga. Para os homens primitivos, a perda de vigor e o sentimento de exaustão que viviam após um trabalho intenso ou exposição prolongada ao frio, ao calor, perda de sangue, medo ou doença teriam alguma semelhança entre si .
 
Seguem algumas dicas da especialista para se prevenir do stress:
 
- Coloque sua atenção no que você quer e abra caminhos para atingir sua meta;
 
- Envolva as pessoas em sua visão e missão para dividir e produzir muito mais;
 
- Delegue, compartilhe e auxilie, trabalhe em equipe e forme equipes;
 
- Saiba ouvir peça feedbacks e respeite o que o outro tem para falar;
 
- Influencie o clima da área e dos ambientes por onde passa de forma positiva, deixe nos ambientes informações boas;
 
- Valorize o que você faz e o que os outros fazem bem;
 
- Comunique com clareza, sensibilidade e harmonia.
 
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Carolina Lara

Fonte:Office 3