Rio de Janeiro, 24 de Maio de 2024

Entenda a causa da doença Mononucleose

A mononucleose é uma enfermidade transmitida através de um vírus que é passado pela saliva, que também é conhecido como a doença do beijo e que deu o que falar nos últimos tempos, fazendo com que o assunto se tornasse um dos mais comentados em todo o Brasil. 

Isso porque, a cantora brasileira Anitta, revelou a doença no começo do mês de dezembro de 2022 e fez com que muitas pessoas entrassem em desespero pensando que se tratava de algo bem mais grave do que a realidade. 

O susto não era para menos. Afinal de contas, trata-se de uma doença que pouquíssimas pessoas conhecem e, só após essa grande polêmica, muitas começaram a entender mais sobre o assunto e o que se tratava. 

Felizmente, vivemos em uma geração onde o acesso à informação é muito melhor do que era há alguns anos, e profissionais qualificados estão à disposição para ajudar as pessoas no que for necessário. 

Assim como contamos com uma boa assistência técnica de impressoras, quando preciso, também podemos contar com médicos e uma grande rede com profissionais da saúde capacitados para ajudar e desmistificar algumas ideias. 

Já adiantamos que a doença em questão está longe de ser grave ou que chegue a levar uma pessoa a óbito, mas ainda assim, é uma enfermidade e, como qualquer outra, incomoda bastante quando não tratada a tempo. 

Tendo isso em vista, hoje iremos conhecer mais sobre o problema que afetou a cantora de pop e funk, Anitta, e que pode acometer qualquer outra pessoa, em qualquer idade e lugar do mundo. 

Mononucleose: Conceito, surgimento e características 

A mononucleose nada mais é do que uma enfermidade causada pela contaminação do vírus Epstein-Barr, que afeta diretamente a região da boca e as áreas próximas, conhecida como a doença do beijo. 

Hoje, já existem diversas maneiras de se tratar o problema com produtos específicos, assim como se conta com um produto para caixa de gordura, quando necessário, afinal de contas, a tecnologia trouxe ainda mais facilidade para diversas áreas. 

Logo a seguir, iremos entender mais sobre a causa e o contágio dessa doença, mas quando uma pessoa a contrai, ela começa a surgir como pequenas feridas na região da boca, o que muitos indivíduos conhecem como o famoso ‘sapinho’ quando eram crianças. 

O nome foi criado com uma forma de explicar às crianças de uma maneira mais acessível sobre a doença em questão, que não traria graves consequências, mas incomodavam alguns pequenos enquanto as feridas não sumissem. 

A mononucleose não é tão diferente, pois também acaba gerando algumas feridas na região da boca e que afetam toda a saúde da pessoa, fazendo com que ela fique bem mais cansada e indisposta no dia a dia. 

Vale lembrar que isso pode acontecer com qualquer pessoa, desde o funcionário de uma empresa de pipe rack para tubulações até mesmo um estudante de direito. Isso porque, muitos estão à mercê desse tipo de doença. 

Como bem vimos, durante a pandemia do novo coronavírus, um vírus é passado sem que possamos ver ou sentir imediatamente. Por isso, todo cuidado é essencial para que se mantenha o mais longe possível desse vírus, como o que causa a mononucleose. 

Principal causa da mononucleose 

Agora que já sabe sobre o que se trata a doença em questão, chegou o momento de entender a sua principal causa e descobrir como as pessoas podem ser infectadas por esse vírus que, felizmente, não mata, mas faz qualquer um se sentir muito mal. 

Pois bem, o vírus da doença só pode ser transmitido através de um material, que é a saliva, ou seja, para pegar tal enfermidade, é preciso ter contato direto com a saliva de alguém infectado e para que passe para outro, funciona da mesma maneira. 

Imagine que um casal que vive em um relacionamento fechado e que busca por uma escada estrutura metálica preço acessível acaba contraindo a doença. Dificilmente, ela será passada para outras pessoas, visto que ambos não se relacionam com mais ninguém. 

Entretanto, quando falamos de um casal que vive um relacionamento aberto ou de um indivíduo que é solteiro e se envolve com muitas pessoas, a transmissão do vírus pode ser bem maior do que se imagina. 

Não é à toa que a maior taxa de transmissão acontece com pessoas que possuem entre 15 e 25 anos, pois trata-se de uma faixa etária em que muitos estão se envolvendo com diversas pessoas e cuidar da saúde não é uma de suas prioridades. 

Por outro lado, também é importante frisarmos que o contato com a saliva nem sempre acontece apenas com um beijo na boca, mas também na troca de copos e talheres que possam ter sido usados por uma pessoa infectada. 

Diferente de um laudo técnico ambiental que traz todos os detalhes sobre o espaço ambiental da sua empresa, o laudo médico do diagnóstico da mononucleose não específica onde e nem como você contraiu o vírus. 

Sendo assim, fica ainda mais difícil para a pessoa tentar perceber ou lembrar onde contraiu o vírus, pois quando chega esse momento é tarde demais. Então, é o momento de focar no tratamento e nos cuidados com a saúde. 

Sendo assim, entendemos que essa enfermidade em questão só possui uma forma de ser transmitida, que é única e exclusivamente pela saliva. Não é a toa que recebe o nome de doença do beijo, pois tende a ser disseminada a partir de tal ato. 

Sintomas da doença 

Assim como qualquer outro tipo de doença, a mononucleose também possui alguns sintomas característicos e que é muito importante conhecer para que saiba identificá-los o quanto antes. 

Existem casos de pessoas que percebem os sintomas após uma conversa com um colega durante o conserto de compressor de ar que está realizando e outros que podem desconfiar do problema ao ler conteúdos como esse. 

Seja como for, o importante é entender que os sintomas existem e servem como um alerta para que se atente a isso, são diversos os sinais dessa doença, mas selecionamos alguns dos principais para que entenda mais sobre o caso. Confira: 

  • Placas esbranquiçadas na boca, língua e/ou na garganta;

  • Dor de cabeça;

  • Febre alta;

  • Dor de garganta;

  • Cansaço;

  • Mal-estar;

  • Tosse;

  • Perda de apetite;

  • Inchaço dos gânglios linfáticos;

  • Entre outros. 

Os sintomas, normalmente, tendem a começar a aparecer após cerca de 7 dias da contração do vírus. Por isso, a qualquer sinal de um desses sintomas, procure imediatamente um dermatologista ou clínico geral para te ajudar nesse processo. 

Muitas pessoas deixam os sintomas de lado justamente por alguns deles serem sintomas cotidianos da rotina de quem já tem algum outro problema de saúde, mas nenhum desses sintomas em excesso, seja na mononucleose ou outra doença, é normal. 

Felizmente, hoje, é possível contar com profissionais da saúde à sua disposição através da internet, assim como é possível contar com um bom fabricante de guarda corpo em algumas ocasiões. Sendo assim, use isso a seu favor para cuidar do seu bem-estar. 

Tratamentos e formas de evitar a mononucleose 

Para finalizar este conteúdo, nada melhor do que entender como tratar essa doença e o que fazer para evitá-la o máximo possível, principalmente quando falamos de um cenário onde o carnaval está se aproximando. 

Pois bem, os tratamentos costumam variar de cada pessoa, mas são feitos com base em medicamentos que apenas um médico poderá receitar para cada caso e gravidade da infecção. Por isso, é importante ter um acompanhamento. 

Normalmente, as feridas e os sintomas costumam surgir dentro de 15 dias de tratamento, mas também é uma métrica que pode variar de cada caso, mas trata-se de uma doença que some com o passar do tempo e te permite voltar à vida normal. 

E para evitar, nada melhor do que os cuidados com as trocas de saliva que faz, seja com as pessoas que beijam ou que compartilham objetos durante o horário de almoço do time de vendas de uma caixa de hidrante completa, por exemplo.

Ao ir para uma festa ou beijar muitas pessoas dentro de um curto período de tempo, procure um médico para se certificar de que está tudo bem com a sua saúde e de que não precisa ter grandes preocupações. 

E é claro, evite trocar objetos que detenham saliva de outras pessoas, como copos, xícaras, canecas, garfos, colheres e até mesmo algumas comidas, como picolé e sorvete de casquinha, pois também podem reter o vírus. 

Com cuidados simples, mas eficazes, é possível cuidar muito bem da sua saúde e evitar que esse problema pareça, além de manter-se atento para fazer o que estiver ao seu alcance a qualquer sinal da mononucleose. 

Considerações finais 

Dessa forma, será possível cuidar muito bem da sua saúde e viver com qualidade de vida, entendendo que mesmo que alguns problemas apareçam, hoje, é mais do que possível cuidar deles com acessibilidade e eficiência.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Kaufmann

Fonte:Guia de Investimento