Rio de Janeiro, 28 de Outubro de 2020

Pêlo em rosto de mulheres tem solução

O excesso de pêlos em locais onde somente nos homens ele se apresenta grosso - como na barba e bigode – é um problema que costuma tirar o sono das mulheres. Trata-se do hirsutismo que pode estar associado a doenças hormonais (provocados pelo hormônio masculino) ou ser uma tendência genética .

De qualquer forma o hirsutismo perturba muito a mulher, principalmente do ponto de vista psico-social, pois, ao apresentar este problema, passa evitar certas situações sociais e fica com a auto-estima diminuída.

A mulher com hirsutismo deve passar por uma avaliação clínica e laboratorial para que sejam excluídas causas mais complexas para a doença, como tumores de ovários ou glândula supra renal, ovário policístico, hiperplasia adrenal congênita entre outros. Quando o diagnóstico está relacionado a um desses problemas, este deve ser tratado com medicações específicas.

Um dos métodos utilizados para eliminação dos pêlos inconvenientes é a depilação a laser, bastante eficiente na destruição dos pêlos grossos e escuros. No entanto, este método tem algumas limitações pois age pouco nos pêlos mais finos e não atinge os pêlos brancos. Além disso, para essa finalidade, são necessárias algumas sessões e o custo desse tratamento pode ser um fator limitante.

Contudo, há uma outra forma de tratamento para as mulheres que apresentam esse problema. Um creme desenvolvido nos Estados Unidos a base da eflornitina, inibidor enzimático que retrai o crescimento do pêlo. Os estudos, até o momento, se restringem à utilização do produto no rosto, que é o local mais inconviniente para as mulheres que apresentam esse problema.

Em pelo menos dois estudos, a eflornitina a 15% em creme foi utilizada duas vezes ao dia no local dos pêlos, por um período de 6 meses. Em cerca de 90% dos pacientes houve inibição do crescimento de todos os pêlos sem apresentar efeitos colaterais. Vale destacar que considerando-se os dois estudos foram tratadas cerca de 1000 mulheres com hirsutismo.

Este creme mostrou-se bastante eficaz na inibição do crescimento de todos os pêlos, tantos os brancos quanto os loiros e até aqueles de espessura mediana. Também, não houve efeitos colaterais significativos para impedir o uso do produto.

A eflornitina, no entanto, não é uma resposta definitiva para o problema. Se o tratamento for descontinuado, os pêlos voltam a crescer no prazo de 30 dias, com a mesma características anteriores. Isto ocorre porque a ação dessa substância não é hormonal, mas sim direta, impedindo a transcrição molecular através da inibição de uma enzima (ornitina descarboxilase) que é responsável pela mensagem para que haja um espessamento do pêlo.
 
 
Mas, considerando-se a simplicidade e o baixo custo do produto, trata-se de um tratamento eficiente e seguro. A substância pode ser usada com outros remédios para combater o hirsutismo, bem como com o laser, concomitantemente.

Dr. Valcinir Bedin: Médico pela Universidade de São Paulo, médico visitante da Universidade Vadois – Lausanne –Suíça, pesquisador da UNICAMP, ex-professor da Faculdade de Medicina de Jundiaí, professor e coordenador do Curso de Pós Graduação em Medicina Estética – SBME, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética- Regional São Paulo, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, diretor do Instituto de Pesquisa e Tratamento do Cabelo e da Pele e delegado do Conselho Regional de Medicina de São Paulo. Diretor Presidente da Fundação Pele Saudável. Reside e tem consultório em São Paulo, capital.
 
 
Fundação Pele Saudável
Fundada em agosto de 2006, oferece atendimento gratuito para a população com problemas de pele, cabelo e unha.
Endereço: R. Almirante Pereira Guimarães, nº 314, Pacaembu – São Paulo, SP
Tel/Fax: 3675-3179
Atendimento: segunda-feira à sexta-feira
Horário: das 08h às 17h
 

 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Majmaluf Assessoria de Comunicação

Fonte:Majmaluf Assessoria de Comunicação