Rio de Janeiro, 30 de Setembro de 2020

Uso de Celular em excesso pode causar doença

Hoje em dia ninguém vive sem ele, mas é importante saber que o metal presente nos aparelhos podem causar coceira e vermelhidão nas bochechas, orelhas e dedos.

Pesquisa realizada pela Associação Britânica de Dermatologistas acaba de divulgar que o uso do aparelho de celular em excesso pode levar a irritações e vermelhidão na pele nas regiões da orelha, bochecha e nos dedos.

A reação alérgica já tem nome e origem.

De acordo com a dermatologista Ana Carolina Sumam (RJ), a “dermatite do celular”, como está sendo chamada, é provocada pela presença do níquel, metal relativamente comum na natureza, cuja composição pode desencadear reações em algumas pessoas após o contato prolongado.

“A dermatite resulta do contato freqüente da pele com objetos que possuem níquel, uma substância com alto potencial alérgico”.

A recomendação da especialista é verificar se o aparelho tem o elemento na composição. Em caso afirmativo, o ideal é trocá-lo (uma indicação disso é o aquecimento do telefone quando utilizado durante muito tempo).

“É recomendado também comprar uma capinha de tecido para guardar o celular e assim proteger a pele. Mas, as de acrílico são contraindicadas, pois podem causar alergia em contato com o suor” alerta a médica.

O minério pode ser encontrado em ligas metálicas de aparelhos, capas de proteção e botões dos celulares, sobretudo nos modelos mais modernos, dizem os estudiosos.

Além do níquel, outras substâncias como a borracha e a pintura do celular também podem provocar a irritação. O toque contínuo, por horas e dias seguidos, teria o efeito de causar manchas vermelhas, placas na pele e coceira insistente nos desavisados.

Segundo a dermatologista Ana Carolina Sumam, que é Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia-RJ, o celular não é o único vilão.

“Outras peças como bijuterias, cintos, pulseiras e botões de calça jeans também possuem o mesmo potencial por conter níquel ”, explica a especialista, lembrando que mulheres, que usam brincos e acessórios diariamente, são as mais atingidas pela dermatite de contato por níquel.
 

No Brasil, não há legislação que verse sobre a presença de metais em produtos industrializados.

Independente dos riscos ou não, os médicos recomendam bom senso no uso do celular: quanto menor o tempo de exposição, melhor.
 

Serviço:


Clínica de Dermatologia Dra. Ana Carolina Sumam
Avenida das Américas, 3500. Ed Toronto 3000. Sl 601.

Le Monde - Barra da Tijuca
Tel: 3586-5560/ 2025-2737/ 7788-2407

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Mirian Carneiro Barbosa

Fonte:DMC21 COMUNICAÇÃO E MARKETING