Rio de Janeiro, 14 de Julho de 2024

Ei mulher, veja como vencer a dismorfia corporal

Um erro comum de ser cometido na sociedade é achar que a qualidade de vida de alguém está associada apenas à sua aparência, quando na verdade, os impactos de distúrbios mentais podem ser bastantes perigosos, como os casos de dismorfia corporal.

Essa doença em específico pode prejudicar uma pessoa de diversas maneiras, o que pode incluir desde sua vida pessoal, com uma conexão direta com seus relacionamentos, mas é capaz de afetar também a sua carreira profissional, além de muitos outros segmentos.

Situação essa que por si só já destaca a importância que deve ser dada aos efeitos da saúde mental no corpo de uma pessoa, pois se tratam de enfermidades que se não forem tratadas de forma adequada, podem levar a consequências irremediáveis.

Questão então que deve ser vista com atenção por quem é responsável por comandar uma equipe em uma empresa, já que além do trabalho a ser visto junto de uma assessoria segurança do trabalho é preciso considerar também ações voltadas ao campo mental.

O desgaste físico de um funcionário pode afetar o seu rendimento em seu serviço, o ponto é que o mesmo vale para um caso de esgotamento mental, por mais que esse tipo de caso não receba o mesmo tipo de atenção, o que pode levar ao agravamento de certos casos.

Situação que acaba sendo ainda maior em relação ao público feminino. Seja por causa da falta de reconhecimento que essa parcela recebe na sociedade no trabalho, ou pelo empenho excessivo que é exigido das mulheres nas mais diversas áreas.

Em situações específicas, como nas atividades de uma loja de roupas, esse tipo de exigência acaba sendo ainda maior em relação às mulheres, exigindo delas um código de vestimenta e padrão corporal que muitas vezes não se exige ao público masculino.

Ou seja, por mais que uma torre de iluminação já seja de grande utilidade para destacar uma marca em um evento, ainda segue a ocorrer casos onde esse público é colocado para agir como um chamariz para um produto ou serviço.

Além de toda a misoginia atrelada a isso, existe outra questão que precisa ser vista com atenção nesse cenário, que é essa exigência de uma padrão corporal a ser seguido pelas mulheres, muitas vezes partindo de um molde impossível de ser alcançado.

Diante dessa impossibilidade passa a se criar uma situação onde a própria visão de uma pessoa com o seu corpo passa a ser um problema, passando a enxergar problemas muitas vezes inexistentes. Situação essa que chega ser inclusive um distúrbio do campo mental.

Como a disformia corporal afeta as mulheres?

A imagem que vemos no espelho muitas vezes não é um reflexo da realidade. Algo que pode acontecer como resultado das distorções do vidro espelhado, principalmente se ele contar com algum tipo de grau, tal como acontece com os óculos.

No entanto, é mais comum que essa distorção parta da própria cabeça do indivíduo, como resultado de uma série de questões pessoais, o que inclui uma falta de confiança em si mesmo, principalmente em relação a padrões que esse alguém pode estar em busca.

Esse tipo de caso costuma ser bastante comum, a ponto de ser reconhecido como um distúrbio de origem mental conhecido como TDC (Transtorno Dismórfico Corporal). Uma doença que afeta diretamente a imagem que uma pessoa tem de si mesma.

Algo que é muito diferente da imagem de um produto a ser divulgado através da busca por banner personalizado preço, pois a diferença entre a realidade e o imaginário pode estar somente na cabeça da pessoa, com uma relação específica ao seu corpo.

Quem sofre desse tipo de enfermidade pode encontrar em si mesmo quilos extras inexistentes, deformações em partes do corpo, como o seu nariz, além de muitas outras características negativas que podem ser visualizadas por um indivíduo.

De uma forma geral esse distúrbio pode até mesmo servir como entrada para muitos outros tipos de doenças, como a bulimia, associada a uma visão distorcida de si mesmo, a ponto de fazer alguém perder peso de forma recorrente, por não se sentir adequado ao corpo.

Apesar de ser um problema que pode afetar a todos, os casos de disforia corporal estão muito associados ao público feminino, diante da maior pressão estética que essa parcela da sociedade recebe em comparação com o meio masculino.

E não basta fazer intervenções estéticas de qualquer tipo, porque o problema não está de fato no seu corpo, mas sim na sua mente.

Ou seja, assim como em um condomínio, o problema não necessariamente está na estrutura metálica e vidro de um prédio, mas sim na visão que alguém possui de um imóvel.

Uma situação capaz de trazer grandes prejuízos à vida das mulheres, impedindo elas de se sentirem bem consigo mesmas, o que pode levar a muitos outros problemas, assim como pode ser um distúrbio que surge como consequência de doenças à sua saúde mental.

Entre os sintomas que indicam casos de disforia corporal é possível listar:

  • Baixo autoestima;

  • Preocupação excessiva com partes do corpo;

  • Olhar frequentemente o espelho;

  • Evitar se olhar em reflexos;

  • Baixa sociabilidade;

  • Dificuldade em se concentrar em algo.

Características que podem surgir aos poucos e, com o tempo, podem prejudicar de diversas maneiras a vida de uma mulher, a fazendo recorrer a soluções perigosas, como cirurgias, dietas excessivas e remédios não-legalizados.

Tudo isso por causa da dificuldade em reconhecer o problema e recorrer de fato ao que poderia surgir como uma solução, tal como um serviço de remediação a ser adotado por uma empresa após um impacto ambiental.

Mas para que seja possível lidar com um caso de disforia corporal a primeira coisa a ser feita é conhecer das suas causas, pois somente ao conhecer o seu inimigo é que será possível vencer ele.

Causas que levam à disforia corporal

Uma pessoa que sofre desse tipo de distúrbio pode apresentar diferentes características, indo desde alguém que está sempre em busca de fazer mudanças no corpo até a quem não se sente bem em dividir espaço com outros.

Enfermidade que pode impactar tanto no trabalho com aluguel de máquina de café para empresas ou qualquer outro segmento, quanto dentro de casa ao olhar o seu reflexo no espelho.

Como foi apontado antes, a baixa sociabilidade de alguém pode estar associada a um caso de disforia, onde a pessoa se sente tão envergonhada do seu corpo que não se sente confortável em confraternizar com outros, por temer um julgamento infundado.

E da mesma forma em que esse distúrbio pode se apresentar de diversas maneiras, o mesmo pode ser dito sobre o surgimento de tal enfermidade.

Quadros de ansiedade e depressão

O estado depressivo costuma ter uma associação direta com os casos de disforia, em alguns casos sendo a origem do problema enquanto em outros surge como uma consequência, tudo por causa da imagem de si mesmo criado em sua mente.

Um problema ainda mais preocupante quando olhamos para o público feminino, diante das diversas cobranças sofridas todos os dias em seu cotidiano, com a dificuldade em alcançar tais padrões impossíveis amplificando os problemas associados ao seu estado emotivo.

Cobranças pessoais

Além dessas cobranças externas, existem também as exigências que são levantadas pelas próprias mulheres consigo mesmas, o que conversa muitas vezes com a imagem distorcida que tal pessoa pode ter de si, sem nunca alcançar um padrão específico.

Relação essa que muitas vezes faz com que esse público deixe de lado atividades que fariam bem para o seu corpo e sua mente, como aulas de pilates Santo André, optando por soluções vistas como milagrosas, capazes apenas de piorar um problema mental existente.

Comparações sociais

Outra causa comum dos casos de disforia está associada às diferentes comparações que a sociedade coloca entre si, com um destaque ainda maior para o público feminino, diante de uma busca constante pelo corpo visto em revistas de moda e artigos do gênero.

O espaço cada vez maior da internet também possui um certo impacto nesse sentido, diante da exposição frequente a diferentes conteúdos, demonstrando um padrão corporal que muitas vezes foge da realidade, graças ao uso de filtros e outras edições.

Tudo isso pode acabar prejudicando a imagem que uma mulher tem de si, com esse problema tendo que ser resolvido não de forma corporal, mas sim junto da sua própria mente, que é onde reside a raiz desse tipo de problema.

Para vencer de vez a disforia corporal é importante reconhecer a existência dessa doença, lidando com ela junto do seu terapeuta, além de qualquer outro tipo profissional que possa acompanhar você durante um tratamento, passando a enxergar a si mesmo no espelho.

As formas de lidar com essa questão estão na prática de esportes, conversas, até mesmo um chá natural. Tudo isso e muito mais o que seja necessário para aliviar a sua mente de preocupações voltadas ao seu corpo.

E é somente ao cuidar da cabeça que o restante do seu corpo pode ser tratado da melhor maneira possível, e com uma mente saudável é possível observar uma melhora em todos os aspectos, impactando desde o seu trabalho com plantio de eucalipto até a sua vida pessoal.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Khauffman

Fonte:Guia de Investimento