Rio de Janeiro, 19 de Abril de 2024

Do que se trata o déficit calórico?

Entenda o que é déficit calórico e como calcular?

Em busca de compreender os princípios fundamentais para um estilo de vida saudável, o déficit calórico desponta como peça central nas discussões relacionadas ao controle de peso e à saúde.

Em um cenário onde a conscientização sobre nutrição e bem-estar é cada vez mais relevante, entender o que é e como calcular o déficit calórico se revela essencial. 

Embora possa parecer um conceito complexo à primeira vista, trata-se de um princípio simples que desempenha um papel crucial no processo de perda de peso e manutenção da saúde. 

Do que se trata o déficit calórico?

O déficit calórico é um conceito central no contexto do controle de peso e da nutrição. 

Ele se refere à discrepância entre as calorias que consumimos através da alimentação e as calorias que nosso corpo gasta para suas diversas funções e atividades. 

Em termos simples, quando consumimos menos calorias do que nosso corpo necessita para suas operações diárias, estamos criando um déficit calórico.

Esse déficit ocorre quando a energia proveniente dos alimentos é insuficiente para suprir as necessidades energéticas do corpo e então é preciso chamar uma ambulância particular ou pública para atender uma pessoa.

Como resultado, o organismo precisa recorrer às suas reservas internas de energia, que são armazenadas principalmente na forma de gordura. 

Ao longo do tempo, esse processo de queima de gordura leva à perda de peso.

A compreensão do déficit calórico é crucial para quem busca controlar o peso de maneira saudável, pois ele é a base para a perda de gordura. 

No entanto, vale ressaltar que criar um déficit calórico excessivamente severo ou não sustentável pode ser prejudicial para a saúde a longo prazo. 

Portanto, o equilíbrio é fundamental ao adotar essa abordagem.

Ao entender essa definição fundamental do déficit calórico, abrimos caminho para compreender como calcular esse déficit de maneira adequada e os benefícios que ele pode trazer para nossa saúde e bem-estar.

Qual o processo de cálculo de déficit calórico?

Calcular o déficit calórico envolve uma abordagem simples, mas que requer atenção aos detalhes, e até mesmo uma análise preliminar de risco sobre a saúde. 

A fórmula básica é a seguinte: Déficit Calórico = Calorias Consumidas - Calorias Gastas. Vamos desmembrar esse processo para uma compreensão mais completa.

Calorias Consumidas

Este é o total de calorias provenientes dos alimentos que você consome ao longo do dia. Envolve considerar a quantidade de calorias presentes em cada alimento e bebida que você ingere. 

Isso inclui tudo, desde refeições principais até lanches e bebidas.

Calorias Gastas

Essa é a quantidade de calorias que seu corpo queima para suas funções diárias e atividades físicas. 

A quantidade de calorias queimadas em repouso pelo seu corpo, chamado de metabolismo basal, ocorre para a manutenção de suas funções vitais, como circulação sanguínea e respiração. 

Além disso, as calorias gastas também incluem o gasto energético relacionado à atividade física, como:

  • Atividades de rotina;

  • Caminhadas; 

  • Exercícios;

  • Treinos.

Agora, vamos dar um exemplo numérico para ilustrar o cálculo do déficit calórico.

Suponha que você consuma 2000 calorias por dia através das suas refeições e lanches enquanto trabalha em uma clínica de olhos como especialista. No entanto, seu gasto calórico diário, incluindo o metabolismo basal e a atividade física, é de 2500 calorias. 

Para calcular o déficit calórico, você subtrai as calorias consumidas das calorias gastas: Déficit Calórico = 2500 - 2000 = 500 calorias.

Nesse caso, o déficit calórico é de 500 calorias por dia. 

Isso significa que você está consumindo 500 calorias a menos do que seu corpo precisa para se manter no peso atual. Ao longo do tempo, esse déficit calórico resultará na perda de peso.

É importante lembrar que o déficit calórico deve ser criado de forma gradual e saudável. 

Criar um déficit muito grande pode levar a perdas de peso rápidas, mas insustentáveis, e pode prejudicar sua saúde. 

É recomendado um déficit calórico de aproximadamente 500 a 1000 calorias por dia, o que resulta em uma perda de peso de cerca de 0,5 a 1 quilo por semana.

Também é fundamental considerar que cada pessoa é única e possui diferentes necessidades calóricas, ou seja, enquanto uma trabalha com a visão, ou pode manusear um detector fetal portátil em clínicas médicas. 

Portanto, é aconselhável buscar orientação de um profissional de saúde, como um nutricionista, para calcular o déficit calórico mais adequado às suas necessidades específicas.

Fatores que influenciam o déficit calórico

O cálculo do déficit calórico não é um processo estático, mas sim influenciado por diversos fatores individuais que moldam a equação das calorias consumidas e gastas. 

Esses fatores desempenham um papel crucial na precisão do déficit calórico que você pode alcançar.

  1. Metabolismo basal

O metabolismo basal é a quantidade de calorias que seu corpo queima em repouso absoluto, apenas para manter funções vitais, como respiração, circulação sanguínea e regulação da temperatura. 

Esse valor varia de pessoa para pessoa e é influenciado por fatores genéticos, idade, sexo e composição corporal. 

Quanto mais rápido o seu metabolismo basal, mais calorias você queima em repouso, o que afeta diretamente o déficit calórico.

  1. Atividade física

A quantidade de atividade física que você realiza diariamente também é um componente-chave do déficit calórico, que pode ser acompanhado por um exame de ergoespirometria em uma clínica médica especializada. 

Seja exercícios formais como corrida ou academia, ou atividades diárias como caminhar ou subir escadas, todas essas ações contribuem para o total de calorias gastas. 

Pessoas mais ativas tendem a ter um gasto calórico maior, afetando a magnitude do déficit calórico.

  1. Termogênese adaptativa

Nosso corpo possui um mecanismo de defesa para evitar perdas extremas de peso em curto prazo. 

À medida que criamos um déficit calórico, o corpo pode ajustar seu gasto calórico para compensar, reduzindo a eficiência com que queima calorias. 

Isso é conhecido como termogênese adaptativa e pode impactar a velocidade e a magnitude da perda de peso.

  1. Nível de atividade diária

Além do exercício programado, o nível geral de atividade que você realiza ao longo do dia, como ginástica laboral nas empresas, levantar-se, andar e até mesmo falar, também contribui para o gasto calórico. 

Pessoas com trabalhos sedentários tendem a gastar menos calorias durante o dia em comparação com aquelas com empregos mais ativos.

  1. Fatores psicológicos e hormonais

Estresse, sono inadequado e desequilíbrios hormonais podem influenciar o apetite, o metabolismo e os padrões alimentares, impactando indiretamente o déficit calórico. 

Esses fatores podem afetar a capacidade de manter um déficit calórico constante ao longo do tempo.

Considerar esses fatores ao calcular e ajustar o déficit calórico é essencial para uma abordagem saudável e sustentável. 

Compreender como cada um influencia a equação calórica permite uma abordagem mais personalizada e eficaz para alcançar metas relacionadas ao peso e à saúde.

Benefícios do déficit calórico

Adotar um déficit calórico de maneira equilibrada, somado a exercícios em equipamentos para academia, por exemplo, oferece benefícios significativos para a saúde e o bem-estar. Um dos principais é a perda de peso gradual e sustentável. 

Ao criar um déficit calórico, o corpo utiliza suas reservas de gordura para obter energia, levando a uma redução constante de peso ao longo do tempo. 

Essa abordagem também reduz a acumulação de gordura corporal, especialmente na região abdominal, diminuindo o risco de doenças metabólicas.

Além da perda de peso, o déficit calórico proporciona vantagens adicionais para a saúde. 

Ele melhora a sensibilidade à insulina, auxiliando na regulação dos níveis de açúcar no sangue e prevenindo resistência à insulina e diabetes tipo 2. 

Aumenta a energia e a vitalidade, aliviando o estresse sobre o corpo e favorecendo um estilo de vida mais ativo. 

De maneira geral, contribui para a saúde cardiovascular, reduzindo o risco de doenças cardíacas e hipertensão.

Dessa forma, adotar um déficit calórico saudável vai além da perda de peso, proporcionando benefícios abrangentes para a saúde, junto com exames regulares observados sob uma lâmpada para microscópio, promovendo uma vida mais equilibrada e longeva. 

É essencial, no entanto, abordar essa estratégia de forma informada e buscar orientação profissional para garantir sua eficácia e segurança.

Conclusão

O déficit calórico surge como um alicerce para alcançar um estilo de vida equilibrado e saudável. 

Compreender que o consumo de calorias inferiores ao gasto energético é uma abordagem eficaz para a perda de peso e a promoção do bem-estar é o ponto de partida rumo a objetivos realistas.

O cálculo preciso do déficit calórico, considerando características individuais como o metabolismo e a atividade física, viabiliza uma estratégia personalizada e eficiente para atingir metas pessoais.

Todavia, é essencial reiterar que a saúde não se restringe apenas a números. 

Antes de efetuar mudanças significativas na dieta ou no estilo de vida, buscar orientação profissional, seja de um nutricionista ou médico, é fundamental. 

Ao abordar o conceito de déficit calórico de maneira equilibrada e consciente, é possível utilizá-lo como uma ferramenta valiosa para conquistar não apenas a transformação física desejada, mas também uma melhoria substancial na qualidade de vida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, em parceria com o site Universo da Mulher, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Kauffman

Fonte:Universo da Mulher