Rio de Janeiro, 23 de Janeiro de 2021

Curiosidades sobre hímen

Em pleno 2020, a vagina não é conhecida como deveria e se mantém envolta em crenças controversas. Parte desta realidade se deve ao fato das pessoas não entenderem bem como o seu próprio corpo funciona. Que tal investirmos em autoconhecimento para mudar isso?
 
Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da marca de coletores menstruais Inciclo, traz onze fatos sobre o hímen - uma espécie de “pele” presente na entrada do canal vaginal muito falada por aí, mas que pouca gente de fato conhece. Confira:
 
1 – Cada hímen é único
O hímen é uma membrana fina, que fica na entrada da vagina. Ele apresenta um ou mais orifícios e pode adquirir e formas e diâmetros variáveis; então, na prática, cada hímen é único. De qualquer forma, existem alguns tipos principais.
 
Anular: O mais frequente, tem formato de “anel” e possui apenas um orifício central, que permite, por exemplo a passagem da menstruação e outras secreções internas.
 
Complacente: Também conta apenas com um orifício central, mas sua membrana é mais forte e elástica.
 
Septado: Apresenta um único orifício, mas existe nesse hímen uma pequena pele que divide o orifício em dois.
 
Cribriforme: Nesse tipo, existem vários furinhos menores em vez de um orifício central, como se fosse uma peneira. É bem resistente e um pouco menos comum.
 
2 – Ele pode ser completamente fechado
Além dos hímens mencionados no item 1, há também o hímen imperfurado, um dos mais raros. Ele é tão resistente que não se rompe durante a relação sexual e nem para a passagem do sangue menstrual. Nestes casos, é necessária uma pequena cirurgia para correção, mas pouquíssimas pessoas tem esse tipo de hímen.
 
3 – Ele não some depois de rompido
Quando ele se rompe, seja por qualquer motivo, ele pode até a sangrar, mas não some. Ele continua no mesmo lugar de sempre, só que está mais flexível e pode ser algumas fissuras.
 
4 – O hímen muda com o passar dos anos
As crianças tem o hímem muito mais espesso do que uma pessoa mais madura. Com o passar dos anos, o hímen fica bem mais fininho e flexível, independente de ter relação sexual com penetração ou não.
 
5 – Nem todo hímen sangra quando “rompe”
Diferente do que muita gente acha, o hímen pode ser rompido e não ter sangramento algum.  Isso vai depender da quantidade de vasos sanguíneos presentes na região, número que varia de pessoa para pessoa. Por esse motivo, é errado associar o sangramento à primeira relação sexual, por exemplo.
 
6 – Nem todo hímen se “rompe” durante a primeira transa
Da mesma forma que a primeira relação sexual não necessariamente sangra com o rompimento do hímen, nem todo hímen é “rompido” na primeira vez – até porque, convenhamos, nem toda transa envolve penetração. Outros eventos podem ocasionar esse rompimento, como atividades esportivas, quedas, masturbação, um movimento brusco ou uso de qualquer produto de higiene menstrual de uso interno.
 
7 - Virgens também podem usar Coletor Menstrual
Quem nunca teve relação sexual pode também aproveitar dos benefícios do Coletor Menstrual. A Inciclo tem o modelo Teen, que é um coletor menorzinho justamente para ser usado também por quem nunca teve relação sexual com penetração. Ninguém deixa de ser virgem por usar o coletor menstrual, mas assim como qualquer outro tipo de manipulação interna, o uso do coletor pode causar fissuras no hímen.
 
8 – Nem toda mulher nasce com hímen
Sim, você pode ter nascido sem hímen. Apesar de ser raro, existem casos de meninas que não possuem essa membrana. Mas fique tranquila: isso não afeta em nada a saúde da mulher.
 
9 – Ainda não se sabe ao certo qual é a função do hímen
Não existe nenhuma comprovação de que o hímen tenha alguma função biológica em nosso corpo. Mas durante a infância, alguns estudos avaliam a hipótese de que ele tenha a função de prevenir infecções, por isso ele é mais espesso nessa fase da vida.
 
10 – Hímen não é sinônimo de virgindade
Considerado por muito tempo um símbolo da virgindade, o hímen não tem nenhuma relação com esse “status” sexual da mulher. A virgindade é um conceito social, religioso e cultural criado para impor padrões e ideais nas mulheres e não tem relação com hímen.
 
11 - Impossível saber se a pessoa é virgem
Nem um ginecologista durante o exame clínico é capaz de olhar o hímen e dizer se uma pessoa já teve relação sexual ou não.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Yasmin Mazzeo

Fonte:Black Art