Rio de Janeiro, 25 de Setembro de 2020

Mulheres estão aumentando sua participação no mercado de consumo de automóveis

Mulheres já respondem por 37% das compras de carros

A participação do público feminino nas compras de automóveis no país dobrou nos últimos vinte anos. Em 1980, 18% das vendas eram destinadas às mulheres; atualmente o índice é de 37%. Além disso, 72% dos veículos são vendidos pela influência feminina. A pesquisa foi realizada pela Volkswagen do Brasil.

Os números indicam também o alto poder de compra e a influência direta e indireta da mulher neste mercado. Segundo o gerente de Marketing da VW, Luiz Muraca, este é o motivo pelo qual a companhia convida periodicamente mulheres de faixas sociais e etárias variadas para participar de clínicas de novos produtos. "Nosso objetivo é coletar opiniões a respeito de nomes, cores, estofamentos e até mensagens das propagandas dos futuros produtos".

O executivo ressalta a diferença de percepção de homens e mulheres. "As mulheres priorizam praticidade, funcionalidade e segurança. Sendo assim, valorizam itens como direção hidráulica, porta-objetos, travas de segurança nas portas e freios eficientes, enquanto os homens, preocupados com status, valorizam performance e estética dos automóveis."

Os dados mostram que os carros com motor 1.0 são a preferência do sexo feminino, com 40% de participação no volume de vendas. O Gol foi o modelo mais vendido para mulheres no varejo no período janeiro-setembro deste ano. Em 2000, dentre os modelos comercializados pelo grupo VW no Brasil, o preferido das mulheres foi o Seat Ibiza, com 52% das vendas direcionadas para consumidoras.

Segundo Muraca, dentre as principais necessidades das mulheres em um veículo estão: menor esforço ao dirigir, maior facilidade de acesso aos comandos, segurança, maior número de porta-objetos, espelho no pára-sol do motorista e regulagem de altura dos bancos.

O executivo informou que as mulheres são responsáveis por 60% da comercialização do novo Polo na Alemanha. "Levando em conta este dado, acreditamos que no Brasil este índice deverá se repetir, podendo até ser superior."
Segundo a estilista da VW, Cristina Belatto, a montadora também considerou este fator na decisão de cores e acabamentos para o lançamento no veículo no Brasil, programado para o primeiro semestre de 2002.

Cerca de 9,5% dos funcionários da fábrica paranaense (250 pessoas) da Volkswagen/Audi são do sexo feminino. Nas outras unidades da VW a média é de 5,7%. A informação é da gerente de marketing e comunicação corporativa da Audi do Brasil, Luciane de Souza Siqueira. "A mão-de-obra feminina se sobressai em tarefas que exigem atenção aos detalhes e habilidade manual, como retoques de pintura, ajuste de peças pequenas e acabamento em geral."

Crédito:Anna Beth

Autor:Cláudia Freiesleben

Fonte:Carsale