Rio de Janeiro, 19 de Abril de 2024

O assédio virtual e o cyberbullying com as mulheres

As redes sociais têm se tornado um importante espaço de interação social e troca de informações, mas infelizmente também têm sido usadas para práticas abusivas e violentas, especialmente contra mulheres, onde o assédio virtual e o cyberbullying tem crescido.

A violência de gênero pode ter consequências graves para a saúde mental e emocional das vítimas.

As mulheres são frequentemente alvo de mensagens ofensivas, ameaças, difamação, exposição de informações pessoais e imagens íntimas sem autorização, entre outras formas de violência virtual.

Dessa forma, elas podem ter um projeto de academia, ou realizando exercícios físicos constantemente, sendo essas atividades muito benéficas, e serem atacadas nas redes sociais, tanto por assédio quanto por comentários maldosos em relação à sua aparência.

Além disso, o machismo e o sexismo presente na sociedade, também se manifestam nas redes sociais, uma vez que os usuários estão escondidos atrás de máquinas, contribuindo para a perpetuação de estereótipos e discriminações de gênero.

Continue lendo esse artigo e compreenda um pouco mais sobre os desafios enfrentados pelas mulheres no meio online e diferentes maneiras de lidar com isso, além de outros fatores.

O que é cyberbullying?

O cyberbullying é uma forma de violência que ocorre no ambiente virtual, através do uso de tecnologias da informação e comunicação, como:

  • Redes sociais;

  • Aplicativos de mensagens;

  • E-mails;

  • Fóruns

  • Entre outros meios online.

Ele é caracterizado por comportamentos agressivos, repetidos e intencionais, que têm como alvo uma ou mais pessoas, com o objetivo de causar danos emocionais, psicológicos, sociais ou físicos.

O cyberbullying pode envolver diferentes tipos de comportamentos, como a disseminação de informações falsas, insultos, ameaças, difamação, exposição de informações pessoais, envio de mensagens ou imagens pornográficas e entre outras formas de violência.

Ele pode ser praticado de forma anônima ou não, por indivíduos ou grupos, e as vítimas podem ser crianças, adolescentes ou adultos.

As consequências do cyberbullying podem ser graves, afetando a autoestima, a saúde mental e emocional, o desempenho escolar ou profissional, as relações sociais e familiares e, em casos extremos, podem levar ao isolamento, à depressão e até mesmo ao suicídio.

Por esse motivo, é importante denunciar e combater o cyberbullying, por meio de medidas preventivas, como a educação digital e o diálogo aberto e constante com crianças e adolescentes, além de medidas repressivas, como a punição dos agressores.

Como identificar um cyberbullying?

Identificar o cyberbullying pode não ser fácil, entretanto, existem alguns sinais que podem indicar que uma pessoa está sofrendo violência online, onde dentre alguns dos sinais mais comuns, podem-se citar:

  • Mudanças no comportamento;

  • Problemas no sono;

  • Redução do interesse;

  • Mudanças físicas;

  • Queda no desempenho escolar ou profissional;

  • Isolamento social.

Esses são os principais pontos que podem demonstrar que a pessoa pode estar sofrendo cyberbullying, sendo assim muito importante a sua identificação.

Mudanças no comportamento

A pessoa pode se tornar mais reclusa, triste, irritada, ansiosa ou apresentar mudanças de humor inexplicáveis.

Por exemplo, o indivíduo pode estar muito feliz e, ao acontecer algo simples, como perder o seu crachá personalizado, pode o fazer ficar mais irritado ou triste que o normal.

Problemas no sono

A pessoa pode ter dificuldades em dormir, adquirir insônia ou ter pesadelos frequentes durante a noite.

Redução do interesse

A pessoa pode deixar de se interessar por atividades que antes eram importantes ou gostava de fazer. Por exemplo, o indivíduo pode adorar realizar um levantamento topográfico, mas de repente perder o interesse sobre o assunto.

Mudanças físicas

A pessoa pode apresentar mudanças no apetite, perda ou ganho de peso, alterações na pele ou cabelo.

Queda no desempenho escolar ou profissional

A pessoa pode ter dificuldades em se concentrar nas tarefas, apresentar problemas em atividades escolares ou profissionais.

Por exemplo, a pessoa pode possuir uma atividade importante no trabalho, como efetuar uma pesquisa de mercado, como “bateria estacionária preço” e apresentar certa dificuldade em terminar a tarefa, mesmo já a tendo realizado várias vezes.

Isolamento social

A pessoa pode se afastar de amigos e familiares, apresentar comportamento antissocial ou ter dificuldades em se comunicar.

Além disso, é importante estar atento a qualquer sinal de comportamento agressivo ou abusivo na internet, como a divulgação de informações pessoais, comentários ofensivos, ameaças, intimidação ou discriminação.

É importante lembrar que cada pessoa pode apresentar sinais diferentes, e que muitas vezes a vítima pode não querer falar sobre o que está acontecendo, por medo ou vergonha.

Por esse motivo, é importante manter um diálogo aberto e confiável com crianças, adolescentes e jovens, para que possam se sentir à vontade para falar sobre suas experiências online.

Além disso, é possível informar um serviço de 0800 que lide com questões de ciberbullying, orientando as pessoas o caminho para realizar a denúncia.

Como evitar?

Existem algumas medidas que podem ser tomadas para evitar o cyberbullying e se manter seguro nas redes sociais.

Educação digital

É importante estar consciente dos riscos que existem na internet e saber como se proteger, encontrando algumas maneiras de evitar que ele ocorra.

Dessa forma, você pode aprender sobre privacidade online, segurança digital e comportamento responsável na internet, uma vez que uma distribuidora de câmeras de segurança não funciona nesse caso.

Configurações de privacidade

Verifique as configurações de privacidade nas redes sociais que você utiliza, a fim de garantir que as suas informações pessoais não sejam divulgadas para pessoas desconhecidas.

Além disso, evite compartilhar informações sensíveis, como número de telefone, endereço ou dados bancários.

A internet está constantemente em busca de informações que identifiquem o usuário, como uma rápida pesquisa de “onde comprar microscópio”, por exemplo, sendo assim muito valioso os diversos dados e, em contato com pessoas maliciosas, pode ser perigoso.

Senhas seguras

Utilize senhas fortes e diferentes para cada uma de suas contas online, evitando compartilhar as suas senhas com outras pessoas.

Denuncie o bullying

Se você for vítima de cyberbullying, não hesite em denunciar o comportamento abusivo para as autoridades ou para as equipes de suporte das redes sociais.

A maioria das redes sociais têm políticas de tolerância zero em relação ao cyberbullying e podem tomar medidas para proteger as vítimas.

Bloqueie o agressor

Se alguém estiver incomodando você, o bloqueará nas redes sociais, uma vez que isso impedirá que a pessoa continue enviando mensagens ou comentários ofensivos.

Converse com alguém

Se você estiver se sentindo mal ou precisar de ajuda, converse com alguém de confiança, como um amigo, um parente ou um profissional de saúde mental.

Seja um bom cidadão digital

Evite compartilhar informações que possam prejudicar outras pessoas, respeite a privacidade dos outros e seja gentil e respeitoso nas suas interacções online.

As dificuldades das mulheres no meio digital

As mulheres enfrentam muitas dificuldades no meio digital, que vão desde o assédio online até a desigualdade de gênero e a falta de representação, onde dentre os principais, podem-se citar:

  • Assédio online;

  • Desigualdade de gênero;

  • Falta de representação;

  • Discriminação online.

Esses são os principais desafios que as mulheres podem encontrar no meio virtual, sendo assim muito importante se atentar a elas.

Assédio online

As mulheres são alvo frequente de assédio online, que pode incluir comentários ofensivos, ameaças, intimidação e violência virtual.

O assédio pode acontecer em qualquer plataforma de mídia social, e muitas vezes pode ser extremamente perturbador e angustiante para a vítima.

Desigualdade de gênero

As mulheres são frequentemente sub-representadas na tecnologia, incluindo áreas como a ciência da computação, engenharia e tecnologia da informação.

Além disso, elas também são frequentemente sub-remuneradas em comparação aos seus colegas do sexo masculino em empregos relacionados à tecnologia.

Falta de representação

As mulheres são muitas vezes sub-representadas nos meios digitais, incluindo a falta de representação em jogos de vídeo, filmes e televisão.

Esse fator pode ter um efeito negativo na autoestima das mulheres, bem como na sua capacidade de se verem representadas em posições de poder.

Dessa forma, é muito importante que exista a representatividade das mulheres em diversos setores e cargos no mercado, onde desde em um laboratório análise de solo até na gerência são profissões que precisam ser representadas.

Discriminação online

Elas também são frequentemente vítimas de discriminação online, que pode incluir comentários sexistas e misóginos, bem como comportamento hostil e preconceituoso em relação a mulheres em geral.

Esses desafios podem ser difíceis de enfrentar, entretanto, é importante que elas continuem a lutar por igualdade e respeito no meio digital.

As mulheres podem se unir para se apoiar mutuamente e levantar as suas vozes para exigir mudanças significativas em relação ao assédio online, à desigualdade de gênero e à falta de representação, sendo esses fatores extremamente importantes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Kauffman

Fonte:Guia de Investimento