Rio de Janeiro, 08 de Março de 2021

Uso diário do protetor solar ajuda a prevenir câncer de pele

Usar filtro solar hoje em dia é condição primordial não apenas para se freqüentar a praia ou a piscina.

 
O sol, mesmo nos dias de mormaço, não poupa a pele de seus raios nocivos. Por isso, dermatologistas orientam para o uso diário do protetor solar, principalmente àqueles indivíduos de pele mais clara e sensível.
 
“A radiação ultravioleta atinge as camadas dérmicas, levando a danos à pele e ao conseqüente prejuízo na síntese e renovação do colágeno, proteína principal da derme, responsável pela sua tonicidade e densidade. O resultado é o afinamento da pele, perda de elasticidade e aparecimento de rugas precoces”, esclarece a Dra. Flávia Addor, colaboradora do serviço de Dermatologia da Universidade de Santo Amaro – UNISA e sócia fundadora da Medcin – Instituto da Pele, em São Paulo. Para atender a essa necessidade, a Libbs Farmacêutica está lançando o Filtrum HT (FPS 20), um protetor solar desenvolvido especialmente para uso diário.
 
Pele ressecada, manchada e sem viço são conseqüências da falta de cuidado com os raios solares. Estudos revelam que a fotoproteção precoce, na infância e adolescência, diminui significativamente os riscos de aparecimento da doença. Desta forma, o protetor solar é uma ferramenta de extrema importância, pois ajuda a reduzir a passagem da radiação ultravioleta, mas a especialista alerta que mesmo os fatores de proteção solar (FPS) mais altos não significam proteção total. “Um conjunto de outras medidas deve ser adotado, como usar roupas adequadas e óculos escuros, além de evitar sol das 10h00 da manhã até às 16h00. Indivíduos de pele mais clara, cuja melanina encontra-se em menor quantidade, devem redobrar os cuidados”, afirma Dra. Flávia.
 
A exposição continuada ao sol sem proteção pode levar, a longo prazo, ao temido câncer de pele. Dra. Flávia explica que isso acontece porque o sistema de reparação dos danos celulares, presente naturalmente em todos seres vivos, pode falhar. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer - INCA, o número de novos casos de câncer de pele
estimados para o Brasil em 2005 é de 59.175 casos em homens e de 59.665 em mulheres. “Não existe exposição solar saudável. Ou seja, tomar sol no início da manhã (até as 10h00) e ao final da tarde (após as 16h00), pode eventualmente trazer danos à saúde, pois nestas horas também há raios ultravioletas A, que é praticamente constante o dia inteiro, sendo comprovadamente o principal responsável pelo fotoenvelhecimento e aparecimento de alergias desencadeadas pelo sol”, alerta a médica.
 
Câncer: em busca da prevenção
 
Dentre os casos de câncer existentes, o de pele é o mais comum. Indivíduos na faixa dos 40 anos, de pele clara ou com doenças cutâneas prévias são mais sensíveis à ação dos raios solares e, por isso, estão mais propensos a desenvolver câncer de pele. A boa notícia é que a prevenção e o diagnóstico precoce podem garantir até mesmo a cura total, dependendo do grau da doença.
 
São três os principais tipos de câncer de pele: o carcinoma basocelular (CBC), o carcinoma espinocelular (CEC) e o melanoma maligno (MM). O CBC e o CEC são os tipos de câncer mais relacionados à exposição solar e ocorrem principalmente nas regiões mais fotoexpostas, como rosto, pescoço, antebraços e mãos. Já o melanoma maligno é o tipo de câncer mais agressivo e está relacionado a queimaduras solares dolorosas e com bolhas. Os principais fatores de risco são pele clara, cuja proteção natural conferida pela melanina (pigmento natural ativado pela radiação solar) é menor, exposição excessiva ao sol sem proteção e história familiar ou pessoal de câncer de pele. O auto-exame é muito importante para detectar de forma precoce o aparecimento de um carcinoma ou mesmo de um melanoma. Atenção às mudanças de cor, tamanho e forma das “pintas”, principalmente nas áreas mais expostas, é fundamental.
 
A Libbs Farmacêutica está lançando o Filtrum HT (FPS 20), um protetor solar desenvolvido especialmente para uso diário, com características cosméticas de agradabilidade e tolerabilidade. Destinado a todos os tipos de pele, o novo produto reúne ao mesmo tempo amplo espectro (protege UVA e UVB), alto efeito hidratante (sem provocar cravos) e foi desenvolvido no Brasil para brasileiros. Além disso, não tem perfume nem corantes. É indicado para todo tipo de pele e contém Vitamina E, que possui ação atioxidante. Seu uso pode auxiliar na prevenção do envelhecimento precoce da pele, além de prevenir o aparecimento do câncer de pele.
Abaixo o envelhecimento
 
A dermatologista Flávia Addor recomenda alguns procedimentos que podem ajudar na prevenção do envelhecimento precoce e do câncer de pele:
 
• Evitar sair ao sol sem proteção das 10h00 às 16h00, quando os raios são mais intensos e nocivos, pois há maior incidência dos UVB;
• Usar sempre o protetor solar contra os raios UVA e UVB e aplicá-lo sempre 30 minutos antes de expor-se ao sol;
• Mormaço também queima, por isso deve-se usar protetor mesmo nos dias menos ensolarados;
• Não se esquecer de proteger também orelhas, dorso das mãos, lábios, pescoço e cabeça;
• Proteger sempre os olhos com óculos escuros com lentes que filtram os raios utravioleta;
 
 
Dra. Flávia Addor, colaboradora do serviço de Dermatologia da Universidade de Santo Amaro – UNISA e sócia fundadora da Medcin – Instituto da Pele, em São Paulo.
 
 
 

Crédito:Ana Carolina Prieto

Autor:Dra. Flávia Addor

Fonte:Segmento Comunicação Integrada