Rio de Janeiro, 08 de Março de 2021

Sonho da cirurgia plástica está cada vez mais acessível

Não é a toa que a procura por cirurgia plástica no Brasil cresce a cada ano e em 2005 foram realizadas 822 mil. “Já não existe mais aquele mito de que cirurgia plástica é só para gente rica.
Há alguns anos esse serviço estava restrito a população mais abastada que realizava cirurgias por questão de status e para contar aos amigos.
 
Hoje com a globalização e a abertura do mercado de trabalho para as mulheres isso mudou e as cirurgias plásticas ficaram mais acessíveis.
 
Com tanta procura já é possível encontrar bons preços, parcelar o tratamento e ainda contar com os melhores médicos e os hospitais mais qualificados” conta Arnaldo Flávio Korn, diretor do Centro Nacional de Cirurgia Plástica.
 
“Antes a relação apenas entre médicos e pacientes dificultava a negociação dos preços e formas de pagamentos. Hoje, para facilitar o acesso as cirurgias existem empresas que fazem uma intermediação que é o caso do Centro Nacional de Cirurgia Plástica.
 
A empresa atende a pessoa que necessitam de plástica, encaminha ao médico especialista que faz o diagnóstico e depois cuida de toda parte administrativa como o preço, a forma de pagamento que pode ser feita em até 36 vezes, data, hospital, laboratórios, empresa eventualmente fornecedora de prótese e tudo que for necessário para o procedimento.  Essa ponte viabiliza preços melhores , devido ao grande fluxo há boas negociações de tabelas e bons preços. Quem sai ganhando é o cliente.” analisa Arnaldo.
 
 
Muitas pessoas ainda ficam desconfiadas quando descobrem que uma cirurgia plástica pode ser parcelada e ter um preço acessível. “Infelizmente esse preconceito ainda existe! Mas se pensarmos pelo lado prático, quando compramos um carro a vista ou em parcelas pelo banco o produto será o mesmo. Com a cirurgia não é diferente, o que está sendo parcelado é o valor  financeiro e não o procedimento. O médico, o hospital, o anestesista, o fornecedor de prótese recebem a vista e quem faz o parcelamento é o cliente que vai ao mercado financeiro buscar esse dinheiro. O brasileiro precisa se dar conta de que não há razão para a cirurgia plástica ser mais cara que outras especialidades médicas. 
 
Não existe razão lógica de uma  plástica de abdômen custar U$ 10 mil  e um parto R$ 300,00,  que é o preço que os melhores convênios médicos pagam.  Não existe correlação da complexidade, muito pelo contrário, um parto é muito mais complexo. O que está acontecendo é que a cirurgia plástica está chegando mais perto da realidade.  Hoje, pessoas de todos os tipos, profissionais bem sucedidos e até empregadas domésticas tem acesso a plástica. ” salienta Arnaldo.
 
Para realizar uma cirurgia plástica a escolha do profissional precisa ser feita com bastante cuidado. Um critério importante a ser verificado é que o médico precisa ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “Os Centro Nacional de Cirurgia Plástica orienta o cliente a realizar uma consulta inicial necessária para que sinta a personalidade, a conduta, e a forma como o profissional responde às perguntas e tira as dúvidas.
 
Se ele não aprovar, poderá escolher um outro profissional. A empresa trabalha com profissionais gabaritados  que são escolhidos por indicação, histórico, experiência, currículo e todos com formação de mais de 10 anos. Além disso, disponibiliza os melhores hospitais com infra-estrutura de UTI tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro.” garante Arnaldo.
 
Se antes a procura por cirurgia plástica no Brasil despertava mais interesse das mulheres isso também passa por uma mudança. Hoje 70% das cirurgias plásticas são feitas pelas mulheres que tem preferência por lipoaspiração, prótese mamaria e nariz, entre outras especialidades. Já os homens fazem 30% das cirurgias e as preferidas são transplante de cabelos e cirurgia de pálpebra. “A cirurgia plástica não é mais considerada apenas uma questão de estética, está comprovado que a boa aparência melhora a alto estima das pessoas que se tornam mais criativas e felizes na vida pessoal e profissional no seu dia-a-dia.
 
Talvez por isso, o Brasil é o segundo país no mundo que mais faz cirurgia plásticas  em números  absolutos e os Estados Unidos é considerado o primeiro.  Mas, se fizermos uma comparação do publico produtivo  nos Estados Unidos veremos que percentualmente é muito maior que no Brasil. Então, em números relativos de população o Brasil é o primeiro país no mundo onde se realiza mais cirurgia e o EUA  o segundo” avalia Arnaldo.
 
 
 
Os telefones de informações do Centro Nacional de Cirurgia Plástica são 11 3231-5757 ou 21 2285-2255 e o site www.plasticaparcelada.com.br.
 
 
 
 
 

Crédito:Euracy Campos

Autor:Euracy Campos

Fonte:EstiloPress