Rio de Janeiro, 30 de Setembro de 2020

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica indica alternativas à toxina botulínica para rejuvenescimento facial

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica indica alternativas à toxina botulínica para rejuvenescimento facial

Lifting, miectomia (cirurgia que retira parte da musculatura da região dos olhos e da testa), preechimentos com ácido hialurônico e pellings são opções que complementam ou substituem as aplicações de toxina botulínica tipo A para quem busca um tratamento definitivo ou nos casos em que a substância não tem ou perde a eficácia

 s aplicações de toxina botulínica tipo A têm pouca durabilidade (entre três e seis meses) e podem perder a eficácia, em casos raros, quando repetidas muitas vezes. Além disso, não são recomendadas no tratamento de rugas estáticas ou da flacidez facial. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo (SBCP-SP) – indica alternativas que substituem ou complementam a toxina botulínica tipo A nos casos de rejuvenescimento facial. “O envelhecimento facial não é provocado somente pelas rugas de expressão nas quais a toxina botulínica tipo A atua. Há também a mudança de local dos músculos da face, a atrofia dos tecidos, o excesso de pele e mudanças na qualidade da pele, como o aparecimento de manchas e a perda de elasticidade. Existem tratamentos adequados para cada um destes problemas”, salienta Antonio Graziosi, presidente da SBCP-SP.

 

A toxina botulínica tipo A é uma substância produzida pela bactéria Clostridium botulinum, causadora do botulismo, que paralisa os movimentos musculares da região na qual é aplicada. Esta substância tem a capacidade de impedir a liberação do neurotransmissor acetilcolina, responsável pela contração muscular. “Como age na paralisia muscular, a toxina botulínica tipo A evita a formação de rugas de expressão,  mas não consegue eliminar as rugas estáticas. Os preenchimentos com ácido hialurônico, por exemplo, são indicados para estes casos e eliminam inclusive sulcos mais profundos. Já o lifting facial atua na flacidez facial, reposiciona os tecidos que mudaram de lugar e pode eliminar o excesso de pele do rosto. Com os peelings, é possível obter um rejuvenescimento na qualidade e na coloração da pele, que se regenera após o procedimento”, explica Antonio Graziosi.

 

Segundo o presidente da SBCP-SP, um percentual baixo de pacientes pode desenvolver, após muitas aplicações da toxina botulínica tipo A, resistência à substância que passa a não fazer mais efeito. “Isto porque o organismo humano produz anticorpos contra a ação da toxina que geram a ineficácia do tratamento em alguns pacientes. A miectomia – cirurgia plástica desenvolvida no Brasil que retira parte da musculatura da região dos olhos e da testa –, por exemplo, é uma alternativa para estes casos ou para pacientes que buscam um resultado definitivo”, afirma.

 

Confira agora os detalhes de cada um dos procedimentos de rejuvenescimento facial no quadro abaixo:

 

 

Rejuvenescimento facial

 

 

Aplicações de toxina botulínica tipo A

 

 

O que é?

As aplicações de toxina botulínica tipo A surgiram no mercado nacional no final da década de 90 como alternativa às cirurgias plásticas faciais de rejuvenescimento para eliminar ou atenuar as rugas de expressão.

 

A toxina botulínica tipo A é uma substância produzida pela bactéria Clostridium botulinum, causadora do botulismo, que paralisa os movimentos musculares da região na qual é aplicada, devido a sua capacidade de impedir a liberação do neurotransmissor acetilcolina – responsável pela contração muscular. A toxina pode ser injetada na testa, entre as sobrancelhas, ao redor dos olhos, no nariz (para elevar um pouco a ponta), ao redor da boca e no pescoço.

 

Normalmente, este procedimento é realizado em pacientes com idade a partir de 30 anos.

Técnica

As injeções de toxina botulínica tipo A são feitas com seringas de agulhas bem finas diretamente na musculatura que será paralisada. O procedimento é realizado nos próprios consultórios. É aplicado um creme anestésico local na pele da região que receberá o produto.

Contra-indicações

- pacientes grávidas ou que estejam amamentando;

- adolescentes;

- pacientes em tratamento com antibióticos “aminoclicosídeos”;

- pessoas alérgicas à toxina;

- pacientes que tenham alguma infecção ou inflamação na região na qual o produto será injetado;

- pessoas intolerantes a agulhas.

Durabilidade

- o efeito das aplicações de toxina botulínica tipo A dura, em média, de três a seis meses. As aplicações podem ser feitas a cada seis meses.

Recuperação

- nas quatro horas após a aplicação, o paciente não pode deitar para que o produto não se espalhe;

- durante o mesmo período, o paciente não pode esfregar a região na qual a toxina foi aplicada.

Efeitos colaterais e riscos

- o organismo do paciente submetido a muitas aplicações pode criar anticorpos e desenvolver resistência à toxina. Com isso, o tratamento perde a eficácia;

- pode ocorrer queda das pálpebras (quando a aplicação é feita na região dos olhos);

- pode haver prejuízo à visão, caso a toxina entre em contato com os músculos responsáveis pelos movimentos oculares;

- Em casos de excesso de aplicações da toxina na região da boca, o paciente pode ter dificuldades de mastigação e articulação;

- Se houver excesso de aplicação, o paciente pode perder a naturalidade e ficar com aparência inexpressiva – aspecto “robotizado”.

 

Miectomia

 

 

O que é?

Cirurgia plástica criada no Brasil por Fausto Viterbo, membro titular da SBCP-SP. Este procedimento cirúrgico é feito na musculatura orbicular (ao redor dos olhos), nos músculos corrugadores (localizados entre as sobrancelhas) e na testa para eliminar ou suavizar as rugas de expressão, como os “pés-de-galinha”.

 

A cirurgia age baseada nos mecanismos de formação das rugas de expressão, retirando parte desta musculatura. A pele jovem é mais firme e não enruga com facilidade quando os músculos se contraem. Com o passar dos anos, a pele torna-se mais fina e começa a refletir mais as contrações musculares.

 

Ao se retirar parte do músculo, portanto, por mais danificada que a pele esteja, a tendência é que não enrugue mais. Esta cirurgia é indicada para pacientes que procuram um resultado permanente.

Técnica

A miectomia é associada ao lifting ou a blefaroplastia (cirurgia de pálpebras). Remove-se um retângulo de músculo com aproximadamente 35 milímetros de comprimento por 12 milímetros de altura.

Para eliminar os "pés-de-galinha", o cirurgião faz um corte ao longo da linha do cabelo que vai do canto da testa até a orelha. Um pequeno e fino pedaço do músculo ao lado dos olhos é retirado. Já nos casos de rugas na testa, são retirados apenas dois filetes musculares para que não se perca tanto a capacidade de movimentação.

 

Na maioria dos casos, a cirurgia é feita com anestesia local e sedação.

Contra-indicações

- pacientes que não estão dispostos a aceitar um resultado permanente.

Durabilidade

- esta técnica cirúrgica surgiu há seis anos. Durante este período, as rugas dos pacientes submetido a ela não voltaram.

Recuperação

- o pós-operatório da miectomia segue os cuidados da cirurgia a que foi associada, seja o lifting ou a cirurgia de pálpebras.

- o paciente não pode se expor ao sol por pelo menos 30 dias;

- os hematomas somem, em média, em 15 dias.

Efeitos colaterais e riscos

- pode haver paralisia facial;

- alguns pacientes podem desenvolver formação de quelóide ou hipertrofia de cicatrizes;

- o paciente pode perder a naturalidade e ficar com aparência inexpressiva – aspecto “robotizado”.

 

Preenchimentos com ácido hialurônico

 

 

O que é?

Todo rosto envelhecido tem uma atrofia. O preenchimento com ácido hialurônico é um tratamento que serve para dar novamente projeção aos locais que, quando a pessoa era mais jovem, tinham uma proeminência (como os lábios e as maçãs do rosto) e para atenuar rugas e sulcos faciais mais profundos.

 

Normalmente, este procedimento é realizado em pacientes com idade a partir de 30 anos.

Técnica

Por meio de injeções com agulhas bem finas, o ácido hialurônico é aplicado nos tecidos da face. Os preenchimentos são realizados nos próprios consultórios, com anestesia local. Em alguns casos, não há necessidade de anestesia. A escolha fica a critério do cirurgião plástico com base nas características do paciente e do procedimento.

Contra-indicações

- pessoas alérgicas à substância;

- pacientes que tenham alguma infecção ou inflamação na região na qual o produto será injetado;

- pessoas intolerantes a agulhas.

Durabilidade

- normalmente, o ácido hialurônico é absorvido pelo organismo em um período entre seis meses e um ano. Porém, a durabilidade do tratamento varia de acordo com as características clínicas individuais dos pacientes. Há influência ainda de fatores externos (como exposição ao sol) e emocionais que afetam o processo de envelhecimento humano. 

Recuperação

- imediata.

Efeitos colaterais e riscos

- risco de desenvolvimento de processos alérgicos.

 

Peelings faciais

 

 

O que é?

Procedimentos realizados para descamar e renovar a camada superficial da pele da região facial. A pele renovada tem maior número de fibras de colágeno, melhor consistência e coloração. O peeling remove marcas (como as de acne, rugas e cicatrizes), manchas, melhora a qualidade e a aparência da pele, atenuando, assim, muitos dos sinais do envelhecimento. A realização deste procedimento é indicada a partir da qualidade da pele, independente da idade do paciente.

 

Técnica

O  peeling retira uma camada da pele, que logo é regenerada e recebe um aspecto novo devido à presença de células que permanecem em determinados pontos da região na qual o procedimento foi realizado e possuem capacidade de reprodução.

 

Existem diferentes tipos de peeling: químicos, mecânicos e a laser. Os peelings químicos podem ser feitos com a aplicação direta sobre a pele de diferentes tipos de ácido como ácido retinóico e o fenol. Quando aplicadas na pele, estas substâncias provocam uma reação química que leva à descamação.

 

Os peelings mecânicos agem por dermoabrasão para provocar a descamação e renovação da pele. Já os peelings a laser agem na camada superficial da pele ao aquecer a água presente nas células da região para provocar sua morte e, por conseqüência, a renovação celular.

 

A partir da avaliação do estado de envelhecimento da pele do paciente, o médico determinará o grau em que o procedimento será realizado: superficial, médio ou profundo.

 

A maioria dos peelings é feita nos próprios consultórios, mas alguns necessitam de internação hospitalar. A anestesia para este procedimento pode ser geral ou local. A escolha fica a critério do cirurgião plástico com base nas características do paciente e do tipo de procedimento.

Contra-indicações

- variam de acordo com o tipo e grau de peeling que será realizado, seguindo a orientação médica;

- os tratamentos a base de fenol são contra-indicados para pacientes com doenças cardíacas, pois a substância provoca arritmia cardíaca durante a aplicação.

Durabilidade

- relativa. A durabilidade do peeling varia de acordo com as características clínicas individuais dos pacientes. Há influência ainda de fatores externos (como exposição ao sol) e emocionais que afetam o processo de envelhecimento humano. 

Recuperação

- a recuperação varia de acordo com o tipo da substância utilizada e a intensidade do peeling.

Efeitos colaterais e riscos

- cicatrizes;

- problemas de pigmentação da pele (hipercromia);

- queimaduras;

- arritmia durante a aplicação do peeling a base de fenol.

 

Lifting facial

 

 

O que é?

Cirurgia plástica realizada na região da face e pescoço para levantar a pele e músculos que desceram em função do envelhecimento facial, bem como retirar os excessos de pele. Normalmente, esta cirurgia é realizada em pacientes com idade a partir de 40 anos.

Técnica

Comumente, nas cirurgias de lifting são feitos dois pequenos cortes para cada lado da face: um na frente e outro atrás da orelha. A partir destes cortes, tanto a musculatura quanto a pele são reposicionadas e fixadas por meio de pontos internos. Caso haja excesso de pele na região, ele será retirado durante a cirurgia. As cicatrizes são posicionadas na região auricular. As cicatrizes dos cortes frontais ficam escondidas nos sulcos das orelhas e as dos demais cortes ficam escondidas atrás das orelhas.

A anestesia para este procedimento pode ser geral ou local. A escolha fica a critério do cirurgião plástico com base nas características do paciente e do porte da cirurgia.

Contra-indicações

- pacientes que já passaram por várias cirurgias nos quais já não é possível melhorar a estética facial cirurgicamente;

- casos de contra-indicações clínicas à cirurgia que devem ser analisados particularmente por cada cirurgião plástico.

Durabilidade

- relativa. Em média, um lifting rejuvenesce 10 anos e sua durabilidade varia de acordo com as características clínicas individuais dos pacientes. Há influência ainda de fatores externos (como exposição ao sol) e emocionais que afetam o processo de envelhecimento humano. 

Recuperação

- o paciente não pode se expor ao sol por pelo menos 30 dias;

- os hematomas somem, em média, em 15 dias;

- as particularidades do pós-operatório variam de acordo com o porte da cirurgia.

Efeitos colaterais e riscos 

 

A esteticista Valeska Soares que fica em Campos dos Goytacazes, faz esses procedimentos em Campos dos Goytacazes e nas localidades vizinhas, promovendo o bem estar, o amor proprio e a saúde da pele.

 

Valeska Soares 

telefone. (22) 99921-8276

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo

 

Crédito: Denise Carvalho

Autor: Denise Carvalho

Fonte:Word Brasil - Comunicação Empresarial