Rio de Janeiro, 14 de Julho de 2024

Missão difícil

Entenda a dificuldades de mulheres para encontrar emprego depois dos 40

As lutas pela presença de mulheres no mercado de trabalho sempre foram grandes, a atribuição de diversas jornadas e as responsabilidades que são impostas de forma estrutural fazem com o que a atenção precise ser divida entre as tarefas.

Historicamente, foi atribuída às mulheres a responsabilidade sobre os trabalhos de casa, cuidados com os filhos e com os demais membros do núcleo familiar. Por muito tempo o trabalho fora não era nem mesmo uma opção para muitas mulheres.

Com a evolução da sociedade, esse cenário modificou-se, e atualmente existem mulheres ocupando cargos diversos em vários mercados, desde a operação de painel elétrico industrial até a construção civil.

A grande questão atualmente é com relação à presença de mulheres com idades mais avançadas. Este perfil de trabalhadoras passam grandes dificuldades para entrar ou realocar-se no mercado de trabalho.

Conheça abaixo alguns pontos que apresentam-se como forte empecilho para essa entrada feminina acima dos 40 anos em postos de trabalho.

Dificuldades de entrar no mercado de trabalho

Para uma empresa de produção, como a de equipamentos para academia, por exemplo, ou uma de entretenimento, como uma emissora de rádio, o que se espera de todos os seus profissionais é que eles imprimam capacidade técnica, independentemente da idade.

Infelizmente, na realidade, não são o que mostram os números do desemprego no Brasil. No final de 2022, os índices de desemprego caíram, principalmente por conta do recuo da pandemia, contudo o número de mulheres fora do mercado ainda era de 54%.

Alguns outros fatores tornaram-se dificultadores para a entrada de mulheres acima dos 40 anos no mercado de trabalho, entenda abaixo um pouco mais sobre cada um deles.

Influência da maternidade

Em uma empresa que produz canoa de alumínio ou outros materiais que apresentam um processo fabril, os trabalhadores no geral possuem diversos direitos, entre eles a garantia de terem equipamentos de segurança, por exemplo.

Estes direitos específicos existem em muitos outros mercados, dependendo das necessidades de cada realidade. Para todas as empresas um dos direitos fundamentais são os relacionados à maternidade, como licença, folgas em situações específicas e auxílios.

Uma grande parte dessas mulheres mais velhas já possuem filhos, muitos deles ainda menores de idade, e as empresas recusam-se a garantir esses direitos para mulheres e preferem optar pela não contratação, gerando um ciclo de desrespeito e insensibilidade.

Empreendedorismo

Quando alguém opta por abrir um novo negócio de aluguel van preço, por exemplo, é possível identificar nessa ação uma forma de empreendimento, onde mulheres que não conseguiram entrar no mercado de trabalho encontram uma forma de gerar renda.

Mesmo sendo uma opção que faria sentido para estas mulheres, ainda é um caminho difícil, pois os encargos de administrar um negócio, unindo as demais responsabilidades que já são atribuídas às mulheres, pode deixar a jornada quase impossível.

Informalidade

Quando uma empresa que revende protetor de portas para carros, por exemplo, contrata seus funcionários sob o regime de CLT, mesmo sendo um número pequeno de funcionários, ele os coloca sobre o modelo formal de contratação, garantindo todos os direitos.

Para as mulheres mais velhas que não conseguem encontrar medidas formais de emprego, o que lhes sobra como opção é a informalidade, com trabalhos que não oferecem o registro em carteira de trabalho e também não oferecem os direitos básicos trabalhistas.

Ao sair de opções de trabalho como estas, as mulheres não conseguem montar uma reserva financeira consistente, que as sustente em possíveis eventualidades, sendo mais um resultado da falta de oportunidades no mercado de trabalho para esse público.

Qualificação não é trava

Para que uma pessoa ou nova empresa realize o aluguel de micro-ônibus para prestar um serviço, ela precisa que as pessoas que irão operar o micro-ônibus tenham habilitação, ou seja, sejam qualificadas para esta função.

Quando profissionais possuem essa qualificação, a sua entrada no mercado de trabalho tecnicamente se torna mais simplificada, mas quando se trata da presença de mulheres com mais de 40 anos, esse cenário não apresenta os mesmos números.

A representação de mulheres que pertencem a esse perfil, com qualificação e experiência, fora do mercado é considerável. O que não faz sentido quando comparado com a demanda atual, ganha sentido apenas quando atribuído ao etarismo.

Como entrar no mercado de trabalho?

As mulheres acima de 40 anos já perceberam que a experiência pode não ser mais o único diferencial que possuem, como mostrado acima muitas empresas querem livrar-se das responsabilidades que devem assumir nesses casos.

Algumas das opções que podem se tornar diferenciais nesses casos são:

  • Procurar empresas que tenham a ver com você;

  • Manter currículo atualizado;

  • Construir network;

  • Manter-se atualizado com o mercado;

  • Mostrar adaptabilidade;

  • Utilizar sites de emprego;

  • Encontrar novas alternativas.

Conheça abaixo o impacto que todos estes fatores de diferencial possuem no processo de entrada no mercado de trabalho para mulheres acima de 40 anos.

Encontrar empresas que tenha o perfil da candidata

Para que uma relação profissional seja desenvolvida, é preciso que haja primeiro uma relação de confiança, onde o candidato confia na marca e a empresa retribui com formas diversas de valorização de equipe.

Muitas empresas oferecem vagas exclusivas para mulheres acima dos 40 anos, o que gera uma identificação inicial imediata, além de aumentar as chances de contratação a possibilidade de construir carreira em vagas como esta cresce muito.

Realizar pesquisas que contemplem as empresas de interesse fará com que a identificação de semelhanças entre os perfis de contratada e contratante seja mais rápida, portanto gerando mais chances de contratação.

Manter o currículo atualizado

No momento em que um profissional se candidata a uma determinada vaga de emprego, ele deve apresentar o seu currículo, uma ferramenta que serve como primeiro contato entre o empregador e o candidato.

Durante esse primeiro contato, o currículo apresentará algumas informações pessoais, histórico acadêmico e profissional, assim como algumas expectativas daquela candidata para com a marca.

É importante que para a mulher que almeja entrar no mercado de trabalho, mantenha todos os dados do currículo atualizados, pois ao enviar esse material a visão da marca sobre o perfil da candidata será mais clara.

Manter-se atualizada

Independentemente da área em que uma profissional deseja inserir-se, ela precisa mostrar que está atualizada com o mercado. Uma enfermeira que realiza curativos para escaras, por exemplo, precisa também conhecer outros tratamentos para cada paciente.

Esse conhecimento de mercado pode gerar uma vantagem durante uma possível competição entre concorrentes, pela mesma posição de trabalho, mesmo diante das dificuldades naturais para o grupo de mulheres acima dos 40 anos.

Como mostrado anteriormente, a qualificação acadêmica pode não ser suficiente, principalmente pelo preconceito de algumas empresas, mas ainda assim é necessário desenvolver-se nessa área, pois algumas marcas ainda os levam em consideração.

Mostrar adaptabilidade

Quando uma empresa de administração predial contrata os serviços de uma portaria remota, ele busca um serviços que se a sua realidade, e essa adaptabilidade é um critério muito usado por empresas que buscam novos funcionários.

Para que uma candidata consiga destacar-se dentre os concorrentes, ela também precisa apresentar essa característica. O foco aqui não é minimizar sua formação, mas sim entender que adaptar-se rapidamente aos processos da empresa é um grande diferencial.

Essa capacidade de adaptar-se fará com que a identificação com a cultura organizacional também aconteça de forma mais rápida e natural, aumentando assim a expectativa de permanência, tanto da empresa quanto da funcionária.

Utilizar sites de emprego

A tecnologia entra neste processo de procura por uma oportunidade de emprego mais do que como um instrumento de passatempo, mas sim como um aliado no momento de localizar empresas contratantes.

A grande variedade de sites de empregos existentes fazem com que a procura pelas vagas se torne cada vez mais digital e rápida. Esses sites funcionam como intermediários para a contratação, ligando quem oferta a vaga e quem as procura.

Estar presente em sites diversos com o currículo atualizado é uma forma de se conectar com o maior número de vagas possíveis, mas é importante lembrar que as empresas que publicam as vagas precisam ter a ver com o perfil da candidata.

Encontre alternativas

É sempre importante reforçar que mulheres com mais de 40 anos não estão no fim da sua vida profissional, em muitos casos esse é o começo do maior desenvolvimento que elas poderiam conseguir.

Dessa forma, caso a vaga desejada não apareça imediatamente ou no primeiro processo de busca, a candidata poderá encontrar alternativas para aumentar ainda mais a sua experiência, seja com o próprio mercado ou com uma atuação específica.

Muitas vezes essa experiência pode ser obtida com trabalho voluntário ou relacionado a diversas causas sociais importantes para a candidata.

Portanto é necessário que mulheres acima de 40 anos não desanimem de entrar no mercado de trabalho, mesmo diante das dificuldades, pois existem empresas que também buscam por talentos que contenham esta experiência.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Kauffman

Fonte:Guia de Investimento