Rio de Janeiro, 18 de Maio de 2022

Autoconfiança impulsiona profissionais para uma carreira de sucesso

Confiança é um dos fatores que pode impulsionar o profissional a desenvolver melhor o próprio trabalho. No entanto, é fundamental ter cuidado para que não ocorra excesso de confiança, que pode causar cegueira. Portanto, é necessário ter pé no chão e bastante preparo para ter autoconfiança na medida certa.

Mas como desenvolver essa qualidade sem se exceder?

O primeiro passo é entender que somos seres únicos, incomparáveis e insubstituíveis. A partir desse pressuposto é essencial entender que nós sempre temos algo a acrescentar.

Essa é a confiança necessária para que outros tenham confiança em você. Se você não confiar si mesmo, pode ter certeza que ninguém vai confiar.

A melhor forma de buscar a autoconfiança é através do autoconhecimento, entender como você reage às situações, as suas forças e suas fraquezas.

A autoconfiança leva ao sucesso mas é a preparação que leva até ela e por isso é fundamental buscar aprendizado que ajude nesse processo, mas também na profissionalização constante.

Pessoalmente, acredito que também é papel das organizações e principalmente dos líderes fazerem com que os seus colaboradores sejam autoconfiantes. Nos meus últimos estudos percebi que as empresas precisam trabalhar mais com amor e eu fiz um acrônimo da palavra amor pra tentar fazer um paralelo com a autoconfiança.

O A de adaptar, porque para ser mais confiante eu preciso me adaptar às novas realidades.

O M de mover, e quem trouxe primeiro essa reflexão foi o filósofo Cortella, onde ele cita os Rolling Stones e explica que pedras rolantes não criam musgo.

O O é de ousar, uma vez que pessoas autoconfiantes fazem isso e hoje, no mundo corporativo, se você não ousar, você não cresce.

O R é de ressignificar.

Hoje estamos em uma pandemia e por mais que venham vacinas é uma realidade que nós já vivemos há quase dois anos e vamos continuar vivendo. Então é preciso ressignificar as relações de trabalho e o modo de aprender.

Outra questão que pode impactar na autoconfiança atualmente são as redes sociais, considerando que a comparação é algo constante quando se tem acesso a Instagram, face book e até mesmo LinkedIn.

Com a enxurrada de informações sobre o que as pessoas estão vivendo, ganhando e desenvolvendo, todo o processo pode se tornar uma competição. Mas é importante se lembrar de que nem tudo está presente nas telas, e apesar das paisagens e promoções vistas nesse ambiente, também existem problemas por trás da tela.

A empatia e a humildade também devem fazer parte deste caminho. Ajudar outras pessoas é uma forma de desenvolver as próprias habilidades e colocar as forças em prática. Além disso, também é importante identificar algumas fraquezas para saber quais podem ser trabalhadas e quais não fazem parte do seu escopo de trabalho. Dessa maneira é possível usar o próprio tempo com mais inteligência.

Lembre-se que todos possuem fraquezas e forças, é importante assumi-las e colocar o foco sobre as suas forças. Ter confiança nas coisas em que se faz bem é fundamental para crescer e ter sucesso no campo de trabalho.

Alexandre Slivnik é reconhecido oficialmente pelo governo norte americano como um profissional com habilidades extraordinárias (EB1). É autor de diversos livros, entre eles do best-seller O Poder da Atitude.

É diretor executivo do IBEX – Institute for Business Excellence, sediado em Orlando / FL (EUA). É Vice-Presidente da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e diretor geral do Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento (CBTD). É membro da Society for Human Resource Management (SHRM) e da Association for Talent Development (ATD). Palestrante e profissional com 19 anos de experiência na área de RH e Treinamento. É atualmente um dos maiores especialistas em excelência em serviços no Brasil. Palestrante Internacional com experiência nos EUA, ÁFRICA e JAPÃO, tendo feito especialização na Universidade de HARVARD (Graduate School of Education - Boston/ EUA). www.slivnik.com.br

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Alexandre Slivnik

Fonte:Carolina Lara